Espiritismo .NET

"Extraterrestres trabalham com o governo dos EUA", diz ex-ministro do Canadá

1º de junho de 2013



"Extraterrestres trabalham em parceria com o governo dos EUA", diz ex-ministro do Canadá



Em audiência pública em Washington, Paul Hellyer defendeu durante 25 minutos a existência de vida extraterrestre na Terra


Extraterrestres existem? Para Paul Hellyer, ex-ministro da Defesa do Canadá, de 89 anos, sim. E eles estão entre nós. No início de maio, durante uma audiência pública que discutiu a existência de vida extraterrestre, realizada em Washington, nos Estados Unidos, o político falou durante 25 minutos sobre o assunto. Veja o video abaixo.


Entre as afirmações surpreendentes feitas por Hellyer está a de que existem, pelo menos, quatro espécies de extraterrestres vivendo, atualmente, na Terra. Duas delas, segundo o ex-ministro, trabalham em parceria com o governo dos EUA.


Ele conta sobre uma conversa que teve com o ex-piloto da Força Aérea americana, Charles Hall. O militar teria trabalhado com uma espécie chamada Tall Whites, que ficava hospedada em uma propriedade do governo dos EUA, localizada no estado do Nebraska, e dividia com os humanos sua tecnologia. O relato dessa experiência, segundo o ex-ministro, deu origem ao livro "Millennium Hospitality", escrito por Hall.


"OVNIs são tão reais quanto os aviões que voam sobre as nossas cabeças", disse ele para um público de 40 pessoas formado por pesquisadores e testemunhas que já vivenciaram experiências extraterrestres. Hellyer defende que os conhecimentos sobre E.T.s deveriam ser divididos com a população. Quer dizer, pelo menos parte deles: "Eu diria que de 95% a 98% dos conhecimentos que se tem. Há uma ou duas coisas que talvez ainda não possam estar no conhecimento público".


O político diz que começou a acreditar em OVNIs durante uma noite, quando ele, sua mulher e um grupo de amigos avistaram uma espaçonave. Apesar de não ter levado muito a sério no momento, ele conta que passou a tratar o assunto com seriedade. Há cerca de 10 anos, o ex-ministro começou a se interessar pelo assunto e hoje é um conhecido defensor da existência de extraterrestres. Hellyer ocupou o principal posto do Ministério da Defesa do Canadá em 1957 e é hoje o membro mais antigo do Conselho Privado da Rainha para o Canadá, uma espécie de gabinete ministerial na monarquia constitucional do país.


"Assim como crianças sobrevivem ao saber que o Papai Noel e a Fada do Dente não existem, eu acho que os cidadãos que pagam impostos são plenamente capazes de aceitar essa nova realidade de que vivemos em um cosmo com vidas de vários tipos", disse durante a audiência. "Talvez seja humilhante perceber que outras civilizações são mais avançadas que nós, mas este, talvez, seja um passo necessário", completou.

Notícia publicada em Época Negócios, em 15 de maio de 2013.



Breno Henrique de Sousa* comenta


Há Muitas Moradas na Casa de Meu Pai


Em algum momento de sua vida você deve ter olhado para o céu à noite e se perguntado sobre esses pontos brilhantes no infinito. Quem não já quebrou a cabeça tentando entender o infinito? Um dos momentos mágicos da minha infância foi a observação do céu com meu pai, curioso da astronomia, que me explicava alguns dos conceitos básicos sobre o assunto.


Surpreendente foi descobrir que a maioria das pessoas ignora os mais elementares conceitos dessa ciência que está entre as mais antigas da humanidade.


Depois de ler a notícia acima, o leitor pode dizer: - tá bom, mais alguns loucos falando sobre discos voadores. Mas, convido o leitor para fazer uma reflexão desapaixonada sobre o assunto, baseando-nos para tanto em possibilidades reais e não em testemunhos que podem ser mais ou menos confiáveis ou em vídeos e fotografias postados na Internet, que podem ser algum tipo de fraude. Antes de qualquer coisa, reflitamos um pouco sobre a grandeza do Universo, refletindo sobre algumas medidas astronômicas já conhecidas.


Comecemos pela nossa Terra. Ela tem uma circunferência de 40.075 quilômetros pela linha do equador. Seria uma boa caminhada para dar a volta. Um automóvel leva de 2 a 3 anos para atingir essa quilometragem. Para chegar à Lua, devemos percorrer a distância de cerca de 380 mil quilômetros, ou seja, o equivalente a nove voltas e meia na Terra; e para chegar ao Sol temos a incrível distância de 149.600.00 km (cento e quarenta e nove milhões e seiscentos mil quilômetros), o que equivale a 3.733 voltas na Terra. Estamos falando apenas do nosso pequeno sistema solar. A partir daqui, as coisas ficam tão grandes, que é impossível usar o quilômetro como medida. Vamos então usar a velocidade da luz, que é uma das medidas mais utilizadas pelos astrônomos.


Para entender melhor a velocidade da luz, devemos refletir que geralmente não temos a percepção de que a luz leva algum tempo para percorrer o espaço, pois ela é tão rápida, que para nós é como se fosse instantânea. Se você acende a luz do quarto, parece algo imediato, mas a luz levou um tempo para percorrer o espaço e chegar aos seus olhos. A velocidade da luz é de cerca de 300 mil quilômetros por segundo (mais precisamente 299.792.458 km/s). Ou seja, se viajássemos na velocidade da luz, em meio segundo estaríamos na Lua e em 8 minutos chegaríamos ao sol. Isso é tão interessante, pois se hipoteticamente o sol explodisse ou se apagasse, nós só veríamos isso 8 minutos depois, porque é o tempo que a luz da explosão ou apagão levaria para chegar aqui. Na verdade, quando olhamos o sol, estamos recebendo a luz que foi produzida 8 minutos atrás. Um ano viajando na velocidade da luz corresponde a 9,5 trilhões de quilômetros. Algumas estrelas estão a anos luz de distância da Terra, ou seja, a luz dessas estrelas leva anos viajando no espaço até que sejam visíveis para nós aqui na Terra. Por isso, algumas das estrelas que admiramos a noite no céu, podem não existir mais nesse momento e o que estamos vendo é a luz delas viajando no espaço, assim como o eco de um som que reverbera no ar.


O nosso sistema solar está a cerca de 27 milhões de anos luz do centro da nossa galáxia, a via láctea, que possui 100 mil anos luz de diâmetro. É uma grande galáxia, mas não chega a ser gigante. Diz-se que o universo visível tem pelo menos 1 bilhão de galáxias e cada galáxia pode ter de 100 mil a 3 bilhões de estrelas. O ponto mais distante que o telescópio Hubble conseguiu fotografar está a 13,2 bilhões de anos luz e registra as galáxias jovens a apenas meio de bilhão de anos depois do Big Bang (a explosão que deu origem ao universo conhecido).


É de perder o fôlego. A mente humana não alcança essas grandezas absurdas do Universo e, por mais que nos esforcemos, não temos a noção exata do espaço sideral. Diante disso, não parece absurda a pergunta: Estamos sós no Universo? Como diria Carl Sagan, seria um grande desperdício de espaço. No mínimo, seria muita pretensão do ser humano acreditar-se a única possibilidade diante do universo infinito. Porém, muitas pessoas não querem fazer esses questionamentos, ou porque não foram acostumadas a fazer questionamentos de nenhuma natureza, ou porque algumas respostas podem gerar outras perguntas mais difíceis, como: Se encontrarmos vida inteligente fora da Terra, que implicações filosóficas e religiosas poderíamos sofrer? A maioria das religiões não trata desse assunto, é simplesmente omissa, mas não o Espiritismo, que tem na pluralidade dos mundos habitados um dos seus pilares fundamentais. Descobrir vida fora da Terra, antes de ser um problema para o Espiritismo, seria uma confirmação dos seus postulados.


Será provável a vida fora da Terra? E a vida inteligente? Uma das primeiras estimativas a respeito da existência de civilizações extraterrestres foi a equação de Drake, também conhecida como equação de Green Bank, que diz que o número de civilizações com as quais podemos contatar na via láctea é de 10. A equação de Drake sofreu muitas críticas, dentre elas a de que faz deduções baseadas em dados pouco confiáveis. De fato, mais recentemente, com os dados mais atuais, a estimativa caiu para 2 civilizações que podemos contatar, dentre as prováveis 200 que existem e estão fora da possibilidade de contato.(1) A equação foi uma criação de Frank Drake, astrofísico americano que fez parte do projeto SETI, que busca inteligência extrarrestre.


Nos últimos anos, foram descobertos mais de 300 planetas fora do sistema solar, com destaque para o planeta batizado Gisele 581, que estima-se ter 5 vezes a massa da Terra e um raio 50% maior que o do nosso planeta. Gisele possui temperaturas próximas a da Terra e tem a possibilidade de ter água em forma líquida, essencial para a existência de vida. Baseado nesses novos dados de descobertas recentes de planetas, o astrofísico Duncan Forgan estima em 361 o número de civilizações existentes apenas em nossa galáxia e cerca de 38 mil fora dela.(2)


E quanto aos OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados, ou UFOs)? Eles existem nos nossos céus? É até razoável acreditar que existe vida inteligente fora da Terra, mas será que eles estão entre nós? É aqui que surge a polêmica da matéria em destaque.


É razoável questionar como eles poderiam chegar aqui e atravessar distâncias tão imensas? Será que eles viajam a velocidades maiores que a da luz? Até bem pouco tempo, segundo a teoria da relatividade de Einstein, considerava-se impossível ultrapassar a velocidade da luz, mas experimentos científicos recentes apontam que a velocidade da luz foi superada,(3) de maneira que nunca devemos por limite ao possível. Parece inútil fazer esse tipo de especulação, porque se eles forem uma civilização mais avançada que a nossa, não teremos como especular suas tecnologias. Existem hipóteses das mais variadas para tentar explicar o assunto, mas são apenas hipóteses baseadas no nosso limitado conhecimento científico.


Considerando os OVNIs no seu significado literal, qualquer objeto não identificado é considerado um OVNI, não significando que se trate de uma nave espacial de uma civilização extraterrestre. Nesse sentido, as forças armadas de diversos países têm arquivos oficiais com décadas de relatos de avistamento de OVNIs. São ETs? Não sabemos. Alguns especulam que os militares liberam apenas informações superficiais sobre o assunto, escondendo o mais importante. Relatos oficiais de OVNIs feitos pelos militares não são coisa de teoria da conspiração, basta pesquisar um pouco na Internet para concluir que a coisa é séria.(4)


De fato, a partir daqui as coisas se tornam um pouco nebulosas, porque, se de um lado, curiosos e ufólogos dizem que os militares conspiram e escondem informações, esses dizem que os outros são lunáticos com teorias da conspiração malucas. A coisa fica ainda mais nebulosa quando nos deparamos com o universo místico da ufologia esotérica, que é uma espécie de mistura New Age de esoterismo com ufologia. Existem pessoas que acreditam seriamente estar em contato telepático com ETs e transmitir suas instruções para a humanidade. Tem gente até que acredita ser um ET, eu mesmo já conheci um suposto ET.


O ser humano comum, que não quer se tornar ufólogo e nem tem tempo para entrar nesse emaranhado de histórias e buscar a veracidade de cada uma, deve ter pelo menos os olhos e os ouvidos abertos, porque, independentemente das teorias absurdas e exageradas que possam existir sobre o assunto, trata-se de uma possibilidade real. E quem sabe se a realidade não é mais fantástica do que supúnhamos? Um pouco de desconfiança não faz mal a ninguém, isso serve para os dois lados. O Espiritismo nos ensina a analisar os fatos desapaixonadamente e reconhecer que o fato de existirem fraudes não aniquila a realidade por detrás dos mitos e supertições.


O Espiritismo afirma a pluralidade dos mundos habitados, mas silencia quando o tema é OVNIs e ETs. Apesar de alguns estudiosos e palestrantes espíritas tratarem do assunto, Allan Kardec não teve tempo de abordá-lo, ou talvez essa seja uma questão que nem sequer lhe foi levantada. Quando o assunto é tratado em O Livro dos Espíritos (questões 55 a 58), em O Evangelho Segundo o Espiritismo (Cap. III) e em A Gênese (Cap. VI), fala-se das diferentes categorias de mundos habitados e sobre os diferentes estados morais em que vivem os espíritos nesses mundos. Fala-se pouco sobre as condições materiais e sobre as características da vida nesses planetas, mas diz-se que a vida guarda proporção com o estado de elevação dos espíritos, ou seja, quanto mais adiantados são os espíritos de um determinando mundo ou planeta, menos material é a natureza da vida.


A pluralidade dos mundos habitados está relacionada com o princípio da reencarnação e através dela explica-se também a origem dos espíritos que encarnam na Terra que está sempre em população crescente. Deus nunca deixa de criar, além disso, existe um intercâmbio fraterno entre os mundos povoados no Universo. Assim, alguns de nós podemos ter vindo de outros planetas, assim como poderemos reencarnar em outros planetas diferentes da Terra em encarnações futuras. Mas aqui estamos falando de um intercâmbio “espiritual” e não ainda de OVNIs ou ETs.


É interessante o fato de que muitos dos links que encontramos na Internet sobre esse assunto foram retirados do ar, mas basta procurar sobre “Paul Hellyer”, ex-ministro da defesa do Canadá, e se surpreender com as afirmações feitas por ele. Aqui não se trata de religiosos ou ufólogos, mas de um político que estava no comando militar de uma das maiores potências do mundo.


Será que ele teria motivos para inventar essas histórias? Estará bem das ideias? Acredita no que diz, mas está enganado? Terá razão? As afirmações do Sr. Paul Hellyer vão além da questão dos OVINs e fala a respeito de uma espécie de governo secreto e conspiração mundial, além de nos dar a espantosa informação de que os EUA têm ETs vivos trabalhando no governo.


Parece-me um roteiro de ficção científica, mas já vi muita coisa sair das ficções científicas e se tornar realidade. Prefiro ser um buscador que mantém sempre os olhos e os ouvidos abertos ao mistério. Prefiro parafrasear o velho Raul Seixas:


Eu é que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...


Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...



Referências:


(1) TEKNOSPACE – TECNOLOGIA E ESPAÇO. A Equação de Drake. Disponível em http://teknospace.no.sapo.pt/drake.htm>, acessado em 17/04/2012;


(2) TERRA. Existe Vida Inteligente em 38 mil Planetas. Disponível em http://inconscientecoletivo.net/existe-vida-inteligente-em-38-mil-planetas-estima-cientista/>, acessado em 17/04/2012;


(3) DN CIÊNCIA. Neutrinos voltam a ultrapassar a velocidade da luz. Publicado em 18/11/2011. Disponível em http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=2134487>;


(4) TERRA. Operação Prato: Defesa vai liberar documentos sobre OVNIs. Publicado em 03/05/2013 em http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/operacao-prato-defesa-vai-liberar-documentos-sobre-%20de%20maio%20de%20ovnis,ccdcfd60c476e310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html>.


* Breno Henrique de Sousa é paraibano de João Pessoa, graduado em Ciências Agrárias e mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Paraíba. Ambientalista e militante do movimento espírita paraibano há mais de 10 anos, sendo articulista e expositor.