Espiritismo .NET

A inspiradora mensagem de Schwarzenegger a um homem deprimido que não conseguia mais se exercitar

Uma troca de mensagens entre o ator Arnold Schwarzenegger e um homem que sofre de depressão viralizou nas redes sociais, gerando um interessante debate sobre saúde mental.

O canadense Ali, que usa o pseudônimo "u/0770059834333178", enviou uma mensagem para Schwarzenegger no site Reddit - que reúne grupos de discussão sobre diversos assuntos -, pedindo ajuda ao ex-fisiculturista.

Ele contou ao ex-governador da Califórnia que "estava deprimido há meses" e tinha parado de se exercitar.

"Estou deprimido há meses e não tenho ido à academia. Schwarzenegger, você poderia fazer o favor de me dizer para levantar esse traseiro preguiçoso e voltar a malhar? Juro por tudo que mais amo que vou me animar com isso e irei", escreveu Ali, que mora em Quebec, no Canadá.

O que ele não podia imaginar é que seu apelo teria resultado.

"Eu estava deitado na cama, me sentindo para baixo, quando decidi enviar a mensagem", disse Ali à BBC.

Mas, para sua surpresa, Schwarzenegger respondeu. E não foi com um ultimato para ele "sair logo dessa" - o conselho do ator foi para Ali "dar um passo de cada vez".

"Não vou pegar pesado com você. Por favor, não seja tão duro consigo mesmo. Todos nós enfrentamos desafios. Todos nós passamos por fracassos. Às vezes, a vida é um exercício. Mas o principal é se levantar. Apenas se mexa um pouco. Saia da cama e faça algumas flexões ou dê um passeio. Faça alguma coisa simplesmente. Um passo de cada vez, espero que você se sinta melhor e volte para a academia. Mas não se martirize, não faz sentido. Isso não te leva para mais perto da academia. E não tenha medo de pedir ajuda. Boa sorte", escreveu o ator austríaco, de 71 anos.

Para Ali, a mensagem foi "um grande incentivo".

"Pulei da cama e pensei: qual é o caminho mais rápido para chegar à academia?", conta o fã declarado de Schwarzenegger.

"Usei essa motivação e fui direto malhar, foi muito louco."

A resposta de Schwarzenegger não motivou apenas Ali, mas também outros usuários do Reddit que, após lerem a mensagem, foram encorajados a compartilhar suas histórias sobre depressão.

Ali inverteu então os papéis e começou a dar conselhos para essas pessoas, algo que para ele tem sido "a melhor parte disso tudo".

"Deixe os sentimentos ruins saírem e chore se você precisar", disse Ali a um usuário que afirma estar passando por uma crise pessoal e não frequenta a academia há dois anos.

"Reprimir as emoções é a maneira mais fácil de aprofundar a depressão. Não desista!"

Controvérsia

Mas a troca de mensagens também gerou polêmica entre alguns usuários.

Um deles disse que a resposta de Schwarzenegger parecia "cínica" e que essa não era a maneira certa de lidar com casos de depressão grave.

"É óbvio que a depressão não pode ser curada tão fácil", respondeu Ali.

"No meu caso, eu precisava de um empurrão para fazer algo que me ajuda quando me sinto deprimido", acrescentou.

Ao ver a repercussão e a quantidade de interações que sua mensagem tinha gerado, Schwarzenegger postou um vídeo em que aparece na academia, afirmando estar orgulhoso de Ali.

"Estou feliz de ver que você está incentivando outras pessoas que têm depressão, motivando e dando força a elas. Amei isso", disse o ator.

"Hasta la vista", encerra Schwarzenegger a gravação, numa referência à fala de seu personagem no filme O Exterminador do Futuro.

Notícia publicada na BBC Brasil, em 15 de agosto de 2018.

Marcia Leal Jek* comenta

“Alteração do estado de humor, uma tristeza intensa, um abatimento profundo, com desinteresse pelas coisas. Tudo perde a graça, o mundo fica cinza, viver torna-se tarefa difícil, pesada, com ideias fixas e pessimistas” são, segundo o Dr. Wilson Ayub Lopes, em artigo publicado no boletim da Associação Médico-Espírita do Estado do Espírito Santo, alguns dos sintomas que caracterizam um processo depressivo. Ainda, segundo o mesmo artigo, poderíamos considerar a depressão “como uma emoção estragada. As emoções naturais devem ser passageiras, circularem normalmente, sem desequilibrar o ser. A tristeza, por exemplo, é uma emoção natural, que nos leva a entrar em contato conosco, à introspecção e à reflexão sobre nossas atitudes. Agora, quando estagnada, prolongada, acompanhada de sentimento de culpa, nos leva a depressão.

A depressão está frequentemente associada a dois sentimentos básicos: a tristeza e a culpa degenerada em remorso. Quando por algum motivo infringimos a lei natural, ao tomarmos consciência do erro cometido, temos dois caminhos a seguir:

1 – Erro > Consciência > Arrependimento > Tristeza > Reparação.

2 – Erro > Consciência > Culpa - remorso (ideia fixa) > Depressão.

O primeiro caminho é o meio natural de nosso aperfeiçoamento. Uma vez tomando consciência de nossas imperfeições e erros cometidos, empreendemos o processo de regeneração através de lições reparadoras.

De outra maneira, ao invés de nos motivarmos a nos recuperarmos, nós nos abatemos, com sentimento de desvalia, de autopunição, e se permanecermos atrelados ao passado de erros, com ideias fixas e auto-obsessivas, nós estaremos caminhando para o estado de depressão, que é improdutivo no sentido de nossa evolução”.

Outra condição que nos leva à depressão é citada pelo Espírito François de Geneve, em “O Evangelho segundo o Espiritismo”, capítulo V - item 25 (A Melancolia), onde relata que uma das causas da tristeza que se apodera de nossos corações, fazendo com que achemos a vida amarga é quando o Espírito aspira a liberdade e a felicidade da vida espiritual, mas, vendo-se preso ao corpo, se frustra, cai no desencorajamento e transmite para o corpo apatia e abatimento, se sentindo infeliz.

Para François de Geneve, então, a causa inicial é esta ânsia frustrada de felicidade, liberdade almejada pelo espírito encarnado, acrescido das atribulações da vida com suas dificuldades de relacionamento interpessoal, intensificada pelas influências negativas de espíritos encarnados e desencarnados.

Outro fator que está determinando esta incidência alarmante de depressão nos nossos dias é o isolamento, a insegurança e o medo, que são acometidas às pessoas na sociedade contemporânea.

O depressivo, em regra, é alguém que traz a mente fixada no passado triste e sombrio, comprazendo-se em recordar as situações que mais o afligiram.

A Doutrina dos Espíritos nos ensina que somos Espíritos imortais, criados por Deus para a felicidade e a perfeição. Essa felicidade será conquistada passo a passo, mediante esforço pessoal para autossuperação, de modo que desabrochem em nós valores sublimados até alcançarmos a felicidade que nos está destinada. Seguimos nesta direção através de várias reencarnações, em que nos aprimoramos, avançando rumo à plenitude. A cada nova experiência no corpo físico trazemos impresso em nosso corpo espiritual a soma das experiências vivenciadas, que se manifestam em nós em forma de virtudes, aptidões, tendências, limitações a serem superadas. São as provas e expiações a que somos submetidos ao longo da existência.

Para o nosso progresso, é da Lei Divina que cada ser viva o resultado de suas próprias escolhas e ações, na mesma existência ou em outras, não escapando nunca às consequências de suas faltas. Allan Kardec, em “O Evangelho segundo o Espiritismo”, nos esclarece que “os sofrimentos devidos a causas anteriores à existência presente, como os que se originam de culpas atuais, são muitas vezes a consequência da falta cometida, isto é, o homem, pela ação de uma rigorosa justiça distributiva, sofre o que fez sofrer aos outros. (...) Deus, porém, quer que todas as suas criaturas progridam e, portanto, não deixa impune qualquer desvio do caminho reto, não há falta alguma, por mais leve que seja, nenhuma infração da sua lei, que não acarrete forçosas e inevitáveis consequências, mais ou menos deploráveis. Daí se segue que, nas pequenas coisas, como nas grandes, o homem é sempre punido por aquilo em que pecou. Os sofrimentos que decorrem do pecado são-lhe uma advertência de que procedeu mal. Dão-lhe experiência, fazem-lhe sentir a diferença existente entre o bem e o mal e a necessidade de se melhorar para, de futuro, evitar o que lhe originou uma fonte de amarguras”. (O Evangelho segundo o Espiritismo, Cap. V, itens 5-7.)

Sem perceber, nos entregamos (com facilidade) aos sentimentos nocivos e desequilibrantes que nos atingem e temos, por isso, atitudes que nem nós mesmos conseguimos entender ou aprovar. Provocam a autopunição, deixando que os piores sentimentos nos controlem e causem mais conflitos e problemas em nossa consciência que, por sua vez, abre-se para distúrbios psíquicos como depressão, compulsão, pânico, irritação nervosa, doenças, tristezas, descontentamento com tudo na vida, dentre tantos outros sentimentos. Assim, os desafios existenciais surgem exatamente para promover nosso progresso.

Todos nós passamos por momentos difíceis, por problemas. E eles aparecem em nossas vidas para que aprendamos a crescer, deixemos florescer as virtudes que ainda dormem em nós. É o medicamento amargo, que precisamos sorver, para curar nossa alma.

No mesmo livro acima (Cap. V, item 18), lemos:

“Quando o Cristo disse: “Bem-aventurados os aflitos, pois o reino dos céus lhes pertence”, não se referia de modo geral aos que sofrem, visto que sofrem todos os que se encontram na Terra, quer ocupem tronos, quer jazam sobre a palha. Poucos sofrem bem; poucos compreendem que somente as provas bem suportadas podem conduzi-los ao reino de Deus. O desânimo é uma falta. Deus vos recusa consolações, desde que vos falte coragem. O fardo é proporcionado às forças, como a recompensa o será à resignação e à coragem. Mais opulenta será a recompensa, do que penosa a aflição. Cumpre, porém, merecê-la, e é para isso que a vida se apresenta cheia de tribulações.”

É preciso coragem para mudar, sair do mundo de lamentações para o mundo de realizações positivas que nos deixará melhores e mais realizados. Somente querendo mudar a nós mesmos e lutando contra nossas más inclinações é que percebemos que os percalços da existência são experiências necessárias e valiosas que os outros não podem viver por nós.

E essa coragem veio para o canadense Ali quando enviou uma mensagem para Schwarzenegger.

Mesmo pedindo ajuda somos donos do nosso destino, pois o Pai, quando nos criou, nos deu o livre-arbítrio, deixando em nossas mãos a escolha do caminho a seguir. Qualquer outra pessoa só poderá nos mostrar o rumo, nos orientar, como fez Schwarzenegger, mas a caminhada é nossa e a decisão deve ser sempre pessoal.

* Marcia Leal Jek é espírita e colaboradora do Espiritismo.net.