Espiritismo .NET

Água, Fluido da Vida

Água, Fluido da Vida
Victor Manuel Pereira de Passos



“E qualquer um que tiver dado só que seja um copo d`água frio, por ser meu discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá seu galardão.” Jesus (Mateus, 10:42)


A água é fluido de vida, que jorra como oferenda da Natureza Sublime de Deus.


Servindo em todas as frentes da nossa vivência, desde o organismo humano à lágrima, espelho dos sentidos, à fonte que sacia nossa sede, ao mar que alimenta o estômago, se faz presente em toda higienização física e espiritual.


Este fluido generoso, por si só, em sua natureza molecular, já é um fluido que no ponto de vista da física não é suscetível de ser magnetizável por ímã.


Este fluido não é só algo transparente que se bebe, mas é uma fonte que pode jorrar muitos eflúvios de amor terapêutico.


A água pode adquirir, através da vontade e da envolvência ambiental, propriedades que se fazem benéficas consoante a irradiação magnética e espiritual que lhe é induzida.


Drº Roullier diz: “- Que entre os acessórios dos tratamentos magnéticos, a água magnetizada está entre os mais preciosos e que os empregou com maior vantagem.”


Deleuze diz: “- Os magnetizadores não fazem muito uso da água magnetizada, entretanto ela lhes pouparia muitas fadigas, dispensariam os doentes de vários remédios e acelerariam a cura dos doentes, se lhe dessem mais valor dos corpos.”


Segundo o magnetismo, todos os corpos são condensadores de movimento, efeito provocado pela magnetização dos corpos. A sonoridade ambiental doa e permite a magnetização dos corpos.


Os corpos magnetizados ajudam extraordinariamente nos tratamentos, efeitos estes de magnetização direta. Ótimos intermediários. Pode-se magnetizar madeira, metais, a água, os tecidos, cera, vidro e todos são condensadores das energias.


A água é dos corpos inertes o que mais facilmente é magnetizável e que se faz melhor transpositor da mesma energia, ou não fosse elemento fundamental da vida.


Este fluido é um excelente recurso de importância medicamentosa e que atua no perispírito indiretamente, contribuindo para restabelecer o corpo físico.



Livro "A Gênese", Capítulo Curas, item 31


Allan Kardec diz:


“- Como se há visto, o fluido universal é o elemento primitivo do corpo carnal e do perispírito, os quais são simples transformações dele. Pela identidade da sua natureza, esse fluido, condensado no perispírito, pode fornecer princípios reparadores ao corpo; o Espírito, encarnado ou desencarnado, é o agente propulsor que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância do seu envoltório fluídico. A cura se opera mediante a substituição de uma molécula malsã por uma molécula sã. O poder curativo estará, pois, na razão direta da pureza da substância inoculada; mas, depende também da energia da vontade que, quanto maior for, tanto mais abundante emissão fluídica provocará e tanto maior força de penetração dará ao fluido. Depende ainda das intenções daquele que deseje realizar a cura, seja homem ou Espírito.


Os fluidos que emanam de uma fonte impura são quais substâncias medicamentosas alteradas.”



Livro "A Gênese", Capítulo XV – Milagres - Cego de nascença, item 25


Kardec diz: - “Quanto ao meio empregado para a sua cura, evidentemente aquela espécie de lama feita de saliva e terra nenhuma virtude podia encerrar, a não ser pela ação do fluido curativo de que fora impregnada. É assim que as mais insignificantes substâncias, como a água, por exemplo, podem adquirir qualidades poderosas e efetivas, sob a ação do fluido espiritual ou magnético, ao qual elas servem de veículo, ou, se quiserem, de reservatório.”



"Livro Dos Espíritos", Parte 1ª, Capítulo II


33. A mesma matéria elementar é suscetível de experimentar todas as modificações e de adquirir todas as propriedades?


“Sim e é isso o que se deve entender, quando dizemos que tudo está em tudo!”


“Este princípio explica o fenômeno conhecido de todos os magnetizadores e que consiste em dar-se, pela ação da vontade, a uma substância qualquer, à água, por exemplo, propriedades muito diversas: um gosto determinado e até as qualidades ativas de outras substâncias. Desde que não há mais de um elemento primitivo e que as propriedades dos diferentes corpos são apenas modificações desse elemento, o que se segue é que a mais inofensiva substância tem o mesmo princípio que a mais deletéria. Assim, a água, que se compõe de uma parte de oxigênio e de duas de hidrogênio, se torna corrosiva, duplicando-se a proporção do oxigênio. Transformação análoga, se pode produzir por meio de ação magnética dirigida pela vontade.”



Emmanuel, no Livro “Segue-me”, pág. 131, diz:


“- A água é passível de adquirir qualidades de natureza sutil ou “fluídica” à indução de uma vontade como agente. Água magnetizada ou fluidificada.


A água fluidificada tem como agente as propriedades que lhe quiseres investir e tem um poder medicamentoso que atua sobre o perispírito e indiretamente contribui para restabelecer o corpo carnal.”



Therezinha Oliveira, no Livro “Fluidos e Passes”, Capítulo 13, Água Fluidificada


“A água fluidificada ao ser ingerida (...) é metabolizada pelo organismo, que absorve as quintessências que vão atuar no perispírito, à semelhança do medicamento homeopático.



Todas estas afirmações reforçam, e não restam dúvidas, a importância que a água fluidificada tem. Esta dádiva é terapia para os desequilíbrios emocionais, debilitação orgânica, desgastes obsessivos ou lesões dos órgãos.


Nos Centros Espíritas, para fluidificar a água não se necessita da imposição de mãos, sendo a água um receptor generoso dos fluidos espirituais. A prece e um ambiente salutar fazem esse trabalho.


Em situações extras, que se queira imprimir uma determinada vontade para um tipo de enfermidade individual, deve-se fazê-lo de forma isolada e a água deve ser destinada somente ao próprio doente.


Aos demais casos, como tônico equilibrador, pode-se fazê-lo normalmente sem recorrer a essa situação.


Não são necessárias reuniões especiais para fluidificar a água.


Nos Centros Espíritas não vamos fazer da água fluidificada uma fonte tonificadora do vício ou da rotina, pois esta água destina-se a quem necessita ser ajudado, e os irmãos Espirituais, que orientam os trabalhos, dizem quem dela necessita, pois se assim não for estaremos a retirar a envolvência curativa que ela tem, porque o passe, ajuda todos os irmãos. A água será o reforço para os mais carentes e não um bebedouro para saciar a sede, pois para isso tem o fluido natural da água simples.


Quanto aos vasilhames que pedem para fluidificar, o cuidado será de não retirar tarefeiros para essas incumbências, afim de não prejudicar seus trabalhos, a fazê-lo no mínimo alguém que se preste a fazer essa tarefa e que não interfira nos trabalhos.


Não podemos criar nos Centros as fontes salvadoras, porque todas irradiações apenas se fazem perdurar se nós fizermos de nossa parte...


A água fluidificada é bálsamo, tal como o passe e a prece são fontes de amor, e que temos de preservar com todo respeito que ela nos merece. Por isso, toda uma estrutura necessita sempre de alicerces fortes e eles estão na disciplina e bom senso.


Nunca esqueçamos de agradecer esta sublime dádiva.



Bibliografia:


- Livro "A Gênese", de Allan Kardec, Capítulo Curas, item 31;


- Livro "A Gênese", de Allan Kardec, Capítulo XV – Milagres, Cego de nascença, item 25;


- "O Livro dos Espíritos", Parte 1ª, Capítulo II, questão 33;


- Livro “Segue-me”,  pág. 131, do Espírito Emmanuel, psicografado por Francisco Cândido Xavier;


- Coleções e Cursos - Livro “Fluidos e Passes”, Capítulo 13 - Água Fluidificada, de Therezinha Oliveira;


- Livro "Magnetismo Curador", de Alfonse Bué;


- Livro "Passes e Curas Espirituais" (Pensamentos), de Wenefledo de Toledo.