Espiritismo .NET

depressão

Angústia e Paz

Previne-te contra a angústia.

Esta tristeza molesta, insidiosa, contínua, arrasta-te a estado perturbador.

Essa insatisfação injustificável, perseverante, penosa, conduz-te a desequilíbrio imprevisível.

Aquela mágoa que conservas, vitalizada pela revolta sem lógica, impele-te a desajuste insano.

Isso que te assoma em forma de melancolia, que aceitas, empurra-te a abismo sem fundo.

Isso que aflora com freqüência, instalando nas tuas paisagens mentais de pressão constante, representa o surgimento de problema grave.

Depressão

Dizes que sofres angústias
Até mesmo quando em casa,
Que a tua dor extravasa
Nas cinzas da depressão.
Que não suportas a vida,
Nem te desgarras do tédio,
O fantasma, em cujo assédio
Afirma que tudo é vão.

Perto da rua em que moras
Há uma viúva esquecida,
Guarda o avô quase sem vida
E três filhinhos no lar;
Doente, serve em hotel,
Trabalha na rouparia.
Busca o pão de cada dia,
Sem tempo para chorar.

Depressão: alertas de que algo vai mal

• Tristeza, fossa, baixo astral persistentes por mais de 15 dias;

• Ansiedade;

• Irritabilidade;

• Culpa, sensação de peso para a família desesperança, desamparo ou desvalia;

• Pensamentos obsessivos e ruminações;

• Memória e concentração diminuídas;

• Idéia suicida;

• Isolamento;

• Disfunção no trabalho;

• Desleixo no cuidado pessoal;

• Energia diminuída;

• Agitação ou inibição psicomotora;

• Insônia ou hipersonia (excesso de sono)

• Diminuição da libido;

• Alteração no apetite;

Depressão

Na raiz psicológica do Transtorno Depressivo ou de comportamento afetivo, encontra-se uma insatisfação do ser em relação a si mesmo, que não foi solucionada. Predomina no Self um conflito resultante da frustração de desejos não realizados, nos quais impulsos agressivos se rebelaram ferindo as estruturas do ego que imerge em surda revolta, silenciando os anseios e ignorando a realidade.

Nostalgia e Depressão

As síndromes de infelicidade cultivada tornam-se estados patológicos mais profundos de nostalgia, que induzem à depressão.

O ser humano tem necessidade de auto-expressão, e isso somente é possível quando se sente livre.

Vitimado pela insegurança e pelo arrependimento, torna-se joguete da nostalgia e da depressão, perdendo a liberdade de movimentos, de ação e de aspiração, face ao estado sombrio que o homizia.

Subconsciente, Consciente e Superconsciente

André Luiz, em sua obra No Mundo Maior, faz comentários excelentes sobre a Casa Mental, dizendo que possuímos apenas um cérebro, que se divide em três regiões distintas, quais sejam, o subconsciente, o consciente e o superconsciente. Ele compara a Casa Mental a um castelo constituído de três andares. No primeiro andar, está situado o subconsciente; no segundo, o consciente; e, no terceiro andar, encontra-se o superconsciente.

No sistema nervoso - diz o querido médico espiritual - temos o cérebro inicial, ou subconsciente. O subconsciente representa e ou contém:

Depressão

A depressão tem a sua gênese no Espírito, que reencarna com alta dose de culpa, quando renteando no processo da evolução sob fatores negativos que lhe assinalam a marcha e de que não se resolveu por liberar-se em definitivo.

Com a consciência culpada, sofrendo os gravames que lhe dilaceram a alegria íntima, imprime nas células os elementos que as desconectam, propiciando, em largo prazo, o desencadeamento dessa psicose que domina uma centena de milhões de criaturas na atualidade.

*

Páginas