Espiritismo .NET

Plano de Ação para o Centro Espírita Aumentar o Número de Trabalhadores Voluntários (Parte 2)


Plano de Ação para o Centro Espírita Aumentar o Número de Trabalhadores Voluntários*
(Parte 2)
Alkíndar de Oliveira

Quarto procedimento:

Estabeleça etapas e prazos para suas metas. Sobre esse procedimento lembremo-nos da frase do escritor Og Mandino (1923-1996): “Ter metas, sem estabelecer etapas e prazos, é como não tê-las”.

Quinto procedimento:

Crie oportunidades de trabalho voluntário, respeitando a vontade do trabalhador.

De
repente você convence o seu voluntário a servir em determinado asilo,
sabendo que o trabalho ali seria extremamente necessário. Mas o
voluntário gostaria muito mais de estar prestando serviço a um orfanato!
Ele se sente melhor trabalhando com crianças do que com idosos.
Certamente esse voluntário agirá mais por obrigação do que pelo prazer
de ajudar. Em outras palavras, ele não irá realizar-se. Para não correr
esse risco, faça pesquisa para descobrir os anseios de seu voluntário.

Para
que você tenha parâmetros nesse estudo, veja alguns dados da Pesquisa
Datafolha, realizada em todo o Brasil, em 19 de dezembro de 1997:


92% dos entrevistados disseram ser importante o trabalho solidário de ajudar voluntariamente o próximo.
80% nunca participaram de atos voluntários de ajuda ao próximo;
61% das pessoas não realizam atos de voluntarismo por falta de tempo.


Não
conheço pesquisa mais recente sobre o tema, mas a da Datafolha serve
como ponto de partida para comprovar que a maioria quase absoluta da
população brasileira valoriza a importância do trabalho voluntário.
Conclui-se, então, que se houver um trabalho motivacional de qualidade,
as pessoas que ainda não atuam voluntariamente a favor do próximo tendem
a iniciar esta jornada.

Para motivar o freqüentador espírita a
atuar no trabalho voluntário, leia o texto “Abandone o vazio
existencial”, apresentado a seguir; acompanhado da pesquisa “Favor
responder o questionário”, que vai propiciar conhecimento maior sobre os
freqüentadores de seu Centro Espírita e, ao mesmo tempo, conseguir
nomes de pessoas interessadas em trabalhar voluntariamente. Para que
esses dois textos surtam melhor efeito, sugiro agir da seguinte forma:


I) Escolha um determinado dia para desenvolver palestra sobre os temas: “servir ao próximo”, “caridade” e “trabalho voluntário”;
II)
Depois da prece de abertura, e antes da palestra, distribua cópias do
texto “Abandone o vazio existencial” (Leia-o nas páginas seguintes);

III)
Leia o texto para as pessoas do auditório. Para não ficar cansativo
para o público, reveze a leitura com outras pessoas. Cada um lendo uma
pequena parte, ficará mais estimulante para o ouvinte. Atenção: escolha
pessoas que leiam bem em público, avise-as com antecedência para que
possam treinar;

IV) Após a
leitura do referido texto, inicie a palestra sobre o tema caridade.
Importante: deve ser uma palestra curta, pois além da leitura do texto
já mencionado haverá um próximo passo a ser dado.

V)
Após a palestra, distribua canetas e cópias da pesquisa com o título
“Favor responder o questionário abaixo” (veja-o nas páginas seguintes).
Explique que a pessoa só precisará se identificar caso opte por
trabalhar voluntariamente. Observação: O objetivo maior do preenchimento
dessa pesquisa é conseguir pessoas que queiram trabalhar
voluntariamente no Centro Espírita.

VI)
Realize esse procedimento pelo menos três vezes por ano. Não esqueça
que cabe ao Centro Espírita gerar contínuas oportunidades a quem se
dispõe a trabalhar voluntariamente.


Muito
importante: Arrume trabalho para todas as pessoas que voluntariamente
se manifestarem. Faça isso mesmo que tenha o trabalho de organizar novos
departamentos e novas atividades voluntárias. Faremos um grande mal, à
pessoa e à causa, se não atendermos, rapidamente, os anseios de quem
quer trabalhar a favor do próximo. Nunca poderemos deixar para o futuro o
aproveitamento de alguém que quer trabalhar hoje.

Observação: O
primeiro texto, “Abandone o vazio existencial” é para ser distribuído
antes da palestra sobre caridade/trabalho voluntário; o segundo texto,
“Favor responder o questionário abaixo”, é para ser distribuído depois
da referida palestra. A seguir o mencionado texto. (clique aqui: Abandone o vazio existencial)

Após a palestra entregue ao pessoal cópia do questionário a seguir. (clique aqui: Questionário)

Observação:
Repetindo e reforçando parte dos tópicos mencionados, o primeiro texto,
Abandone o vazio existencial, é para ser distribuído antes da palestra
sobre caridade/trabalho voluntário; o segundo texto, Favor responder o
questionário abaixo, é para ser distribuído depois da referida palestra.


Sexto procedimento:

Prepare seu voluntário. Faça
palestras com o objetivo de reforçar a importância do trabalho
voluntário. Dê aulas, com especialistas, sobre como ser voluntário.

Uma
dica importante: Em São Paulo, instituições como a AACD (Associação de
Assistência à Criança Deficiente) e o Hospital do Câncer procuram
“formar” voluntários, organizando aulas, palestras e atividades
práticas. Conheça os trabalhos de formação de voluntariado dessas
instituições e adapte-os ao seu Centro Espírita.

Sétimo procedimento:

Divulgue a oferta do trabalho de voluntariado:

a)
Em palestras, com um número expressivo de participantes, distribua a
pesquisa que faz parte do quinto procedimento. Na folha, deixe espaço
para a pessoa colocar seus dados pessoais – conforme modelo descrito
acima -, visando à possibilidade futura de ser convidada a prestar
serviço voluntário. Lembre-se de distribuir canetas;
b) Em algumas
palestras, procure enfocar o tema trabalho voluntário, solicitando ao
palestrante para enfatizar que voluntariado não é obrigação, afinal
ninguém gosta de fazer algo por simples obrigação. Reforce que não é
obrigação, é realização pessoal;
c) Evite “vender” a idéia de que “o
Centro Espírita está precisando de voluntários.” Diga que: “O Centro
Espírita, por meio do seu trabalho de voluntariado, está propiciando
oportunidades para quem procura dar um sentido à vida”.

Oitavo procedimento:

Descubra
grupos de pessoas que possam ajudar a ampliar o número de voluntários.
Existem quatro grupos de pessoas que propiciam, aos Centros Espíritas,
excelentes meios de atender a crescente demanda por trabalho voluntário.
Dos quatro grupos, dois tendem a ser voluntários no futuro, e os dois
restantes, no presente:

Grupo I: Os novos visitantes dos Centros Espíritas (prováveis voluntários do futuro)

Atenda
muito bem os novos visitantes do Centro Espírita. Agindo assim, além de
ajudar o novo freqüentador a se “encontrar”, o Centro Espírita estará
aumentando o número de futuros candidatos ao voluntariado.

É
comum o novo freqüentador não receber atenção nenhuma no Centro Espírita
e, devido a essa ausência de boa receptividade, ausência de calor
humano, ele tende a não voltar mais. Para corrigir esse erro, procure:

a)
Deixar sempre na porta de entrada pessoas mais antigas, que já conhecem
o público, para recepcionar bem àqueles que vêm pela primeira vez;
b)
Não entregar, na entrada do Centro, textos de divulgação do Espiritismo
que soem prepotentes a quem comparece pela primeira vez ao centro e não
é espírita. Evite, por exemplo, frases como: “O Espiritismo é a
Terceira Revelação”, “O Espiritismo é o Cristianismo redivivo”, “O
Espiritismo é a única Doutrina que fornece respostas às perguntas mais
instigantes da humanidade”, etc.;
c) Ao recepcionar o novo visitante
entregue uma cópia do texto a seguir. E não se esqueça de indicar no
formulário, os nomes das pessoas que o visitante poderá procurar para se
orientar.

(clique aqui: texto para novo visitante).