Espiritismo .NET

Homem encontra terra sem dono e faz de sua filha a princesa

4 de setembro de 2014



Homem encontra terra sem dono e faz de sua filha a princesa



Jeremias Heaton, dos EUA, prometeu a sua filha, Emily, que a transformaria em uma princesa de verdade. Com um território entre o Egito e o Sudão, ele quase conseguiu


Um americano está reivindicando um pedaço de terra entre o Sudão e o Egito, no norte da África. Segundo ele, o território não pertence a nenhuma nação e ele quer ser o rei do local, tranformando sua filha de sete anos em, literalmente, uma princesa. As informações são do jornal The Telegraph.


Segundo a publicação, Jeremias Heaton, de Virginia, prometeu a sua filha, Emily, que a transformaria em uma princesa de verdade. Por isso, pesquisou sobre o lugar na internet e, mais tarde, viajou junto com ela até o local. Ao chegar lá, plantaram uma bandeira com o brasão da família no solo.


De acordo com especialistas, para reivindicar o reino, o qual chamou de "Sudão do Norte", Heaton deverá conseguir uma permissão do governo do Egito e do Sudão, além do reconhecimento das Nações Unidas e de outros grupos.


Emily anda com uma coroa para onde quer que vá, agora que se sente uma princesa. Enquanto isso, Heaton garante que, em breve, terá os documentos necessários para tomar posse do "reino", onde não mora ninguém.


Notícia publicada no Portal Terra, em 15 de julho de 2014.



Claudio Conti* comenta


A notícia é muito interessante quando analisada à luz do Espiritismo, pois demonstra até onde espíritos compatíveis com um mundo de expiação e provas podem chegar para satisfazer o que acreditam ser as suas necessidades.


Na pergunta 823 de “O Livro dos Espíritos”, Kardec questiona sobre o desejo que o homem sente de perpetuar sua memória por meio de monumentos fúnebres. A resposta é que este seria o “Último ato de orgulho”.


Assim, percebemos como se pode levar o orgulho a limites extremos, tentando mantê-lo, inclusive, após a morte. A pergunta que vem à mente é: Até que ponto, neste sentido, chega-se durante a encarnação? Na notícia em análise, podemos dizer que até o ponto de fazer qualquer coisa para se tornar rei.


Apesar de parecer esdrúxulo, presenciamos, vivenciamos ou estamos sujeitos a situações muito semelhantes, quando a busca pelo poder se torna, muitas vezes, voraz e sem limites, e em que os contendores perdem todas as restrições que a moral impõe, sendo capazes de atitudes de baixeza extremas. Essas situações são encontradas em disputas eleitorais, cargos em empresas, nos lares, etc.


Um bom alerta pode ser encontrado em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, cap. XVII, item 7, sob o título de O DEVER. O espírito Lázaro afirma que o dever fica entregue ao livre-arbítrio e que o aguilhão da consciência adverte sobre os caminhos a seguir, porém pode ser impotente diante dos sofismas da paixão.


"Sofisma" é uma mentira, propositalmente maquiada por argumentos verdadeiros, para que possa parecer real, e isto, muitas vezes, é feito inconscientemente quando se encontram motivos para justificar comportamentos inadequados. Portanto, é preciso estar atento diante das opções e decisões para não incorrer em equívocos decorrentes do orgulho que podem perdurar no tempo, transcendendo o próprio período da encarnação.


* Claudio Conti é graduado em Química, mestre e doutor em Engenharia Nuclear e integra o quadro de profissionais do Instituto de Radioproteção e Dosimetria - CNEN. Na área espírita, participa como instrutor em cursos sobre as obras básicas, mediunidade e correlação entre ciência e Espiritismo, é conferencista em palestras e seminários, além de ser médium pscógrafo e psicifônico (principalmente). Detalhes no site www.ccconti.com.