Espiritismo .NET

Quem jogar lixo nas ruas do Rio de Janeiro vai ser multado

6 de dezembro de 2013



Quem jogar lixo nas ruas do centro do Rio de Janeiro vai ser multado



A cobrança de multas para quem jogar lixo começa no dia 01 de julho. Os valores, de R$ 157 a R$ 3 mil, serão aplicados com ajuda da tecnologia.


A partir de primeiro de julho, 638 fiscais que já participam de simulações nas ruas do Rio de Janeiro vão multar quem for flagrado jogando lixo no lugar errado. Para resíduos com tamanho igual ou menor ao de uma lata de cerveja, a multa será de R$ 157. Se for maior que uma latinha e menor que um metro cúbico, o valor sobe para R$ 392. Acima de um metro cúbico, a multa pode chegar a R$ 3 mil.


Um pequeno computador com acesso a internet e uma impressora são as novidades da fiscalização a multa é aplicada na hora.


Depois de ser eleita a nona cidade mais suja do mundo em uma pesquisa recente, o Rio de Janeiro fez as contas e descobriu que apenas no ano passado foram gastos R$ 600 milhões para limpar a sujeira jogada no lugar errado.


Se fosse possível reduzir em 15% todo esse lixo, o dinheiro economizado seria suficiente para construir 1.184 casas populares, 30 clínicas da família ou 22 creches.


A prefeitura vai instalar mais sete mil lixeiras na cidade, mas avisa que mesmo que não haja lixeira por perto, é dever de cada um cuidar para que a cidade permaneça limpa.


Quem se recusar a dar o número do CPF ou identidade será levado a delegacia mais próxima.


Notícia publicada na página do Jornal Hoje, em 12 de junho de 2013.



Sonia Maria Ferreira da Rocha* comenta


“A Natureza é sempre o livro divino, onde a mão de Deus escreveu a história de sua sabedoria, livro da vida que constitui a escola de progresso espiritual do homem evoluindo constantemente com o esforço e a dedicação de seus discípulos”. – “O Consolador”, pelo Espírito Emmanuel, psicografado por Francisco Cândido Xavier.


Ainda estamos num estágio de evolução onde necessitamos de normas e leis para regularem o nosso comportamento. Esse nosso planeta, de provas e expiações, nos proporciona a oportunidade de exercitarmos valores, que ainda estão deficientes no nosso espírito e que são imprescindíveis na nossa caminhada evolutiva.


Esses códigos, principalmente os punitivos que atingem os que, devido ao seu egoísmo e sua forma de agir, não respeitaram o direito do próximo causando de forma direta ou indireta algum prejuízo, visam, além de diminuir as consequências causadas, modificar as atitudes recorrentes. Ainda somos rebeldes, implacáveis nas nossas conjecturas perante a vida, dominados pelo egocentrismo exarcebado e onde só a individualidade é valorizada. Essas punições ainda são necessárias no estágio de evolução em que nos encontramos. Que através delas, possamos refletir sobre a atitude errônea praticada e assim, corrigi-la definitivamente em nossos comportamentos, na convivência com a sociedade em que estamos inseridos, e até na relação com a vida saudável do planeta em que vivemos.


O ideal seria se todos tivessem a certeza de que devemos preservar a saúde do planeta Terra com carinho e respeito pelos nossos familiares e amigos pois, é ele que nos acolhe e nos dá a oportunidade de subir os degraus da nossa evoluçao.


A pergunta 121 do “Consolador” é a seguinte: “O meio Ambiente influi no Espírito?” e Emmanuel responde: “O meio ambiente em que a alma renasceu, muitas vezes constitui a prova expiatória; com poderosas influências sobre a personalidade, faz-se indispensável que o coração esclarecido coopere na sua transformação para o bem, melhorando e elevando as condições materiais e morais de todos os que vivem na sua zona de influência”.


Essas leis e essas normas impostas na nossa vida devido à falta de educação, de fraternidade, de tolerância, de amor, seriam desnecessárias se tivéssemos como meta no nosso cotidiano a Lei Maior, aquela que Jesus veio nos ensinar. Quando a implantarmos definitivamente no nosso espírito, praticando os valores morais mais elevados, teremos certamente um mundo de PAZ, onde o orgulho, o egoísmo, a ambição, a inveja não mais permearão nossos dias. Estaremos reunidos pelo amor incondicional onde somente ele será a nossa bússola. Este é o mundo de regeneração, em que o nosso planeta Terra em breve será incluído.


Se a Lei de Deus tivesse sido apreendida ao longo do tempo, sobretudo no último século, pelos habitantes da Terra, não estaríamos diante dos descalabros que constatamos hoje em dia.


“A vitória na luta pelo bem contra o mal caberá sempre ao servidor que souber perseverar com a Lei Divina até o fim”. – Emmanuel pela psicografia de Francisco Cândido Xavier.


* Sonia Maria Ferreira da Rocha reside em Angra dos Reis, RJ, estuda o Espiritismo há mais de 30 anos e é colaboradora regular do Espiritismo.net.