Espiritismo .NET

Ladrão devolve carro e pede desculpas

30 de agosto de 2013



Ladrão devolve carro e pede desculpas



Fusca furtado em Mococa foi devolvido


O eletricista Cristiano Leopoldino recebeu de volta da polícia seu Fusca furtado em Mococa, no interior paulista, com um bilhete do ladrão. "Infelizmente peguei esse carro porque não tinha dinheiro para vir embora. Obrigado", escreveu. "Observação: entregue ao dono", finalizou o bandido.


Notícia publicada no msn Estadao, em 17 de maio de 2013.



Sergio Rodrigues* comenta


Trata-se de um caso realmente inusitado. Alguém furta o carro de outrem, utiliza-o para resolver um problema circunstancial e, após utilizá-lo conforme a sua necessidade, o restitui ao seu proprietário, deixando um bilhete no qual se “justifica” e finaliza com um agradecimento.


A lei humana trata desse tipo de delito de modo diferente do furto comum. Alguns sistemas judiciais deixaram de tipificá-lo como crime e outros têm decidido de modo diferente. Mas, e as leis naturais? Foram igualmente violentadas? Entendemos que, de algum modo, sim, posto que o direito de possuir deve ser conquistado mediante o trabalho honesto. Além disso, um dos mandamentos da Lei de Deus prescreve o “não roubarás”, que, no caso em questão, não foi observado. Certamente, alguma consequência espiritual terá essa atitude, mas, primando a Lei de Deus pela justiça e misericórdia, o grau de gravidade relativa da atitude reprovável será considerado. Não teve o seu autor o objetivo de se apropriar do bem de terceiro nem de privar o direito de propriedade de seu legítimo dono, mas de apenas utilizá-lo por alguns instantes. Foi uma atitude reprovável, como dissemos, mas que devemos entendê-la dentro de seus verdadeiros limites.


* Sergio Rodrigues é espírita e colaborador do Espiritismo.Net.