Espiritismo .NET

Chocado com pobreza na Índia, menino dos EUA cria ONG para doar bicicletas

8 de agosto de 2013



Chocado com pobreza na Índia, menino dos EUA cria ONG para doar bicicletas



O americano Thomas Hircock tinha 12 anos quando foi pela primeira vez à Índia. Ele acompanhava o pai, que trabalha no país asiático.


Thomas ficou chocado com a pobreza e decidiu ajudar, perguntando o que as crianças queriam. A resposta foi: bicicletas.


Então ele fez uma vaquinha na escola, na cidade de Filadélfia, e daí surgiu a organização de caridade Bike Club, que vem doando bicicletas deste então. Já foram mais de 400 entregues.


Com a doação, Thomas ajuda as crianças indianas a terem um meio de transporte para ir à escola.


Notícia publicada na BBC Brasil, em 16 de abril de 2013.



André Henrique de Siqueira* comenta


A educação é o resultado da mudança de atitudes em relação à vida.


Nos enganamos ao acreditar que educar é apenas criar modelos para o raciocínio melhorado. A proposta educacional contempla uma ampliação na capacidade de pensar, de sentir, de agir e de aprender. E o resultado da educação se percebe em ações.


A atitude de Thomas Hircock, o jovem americano criador do Bike Club (http://www.bbc.co.uk/portuguese/videos_e_fotos/2013/04/130416_india_ bike_vale_rp.shtml), dá exemplo do que a educação pode fazer com um coração sensibilizado e uma mente disposta para as atitudes construtivas.


O sentimento de solidariedade decorre da percepção de que somos iguais. A noção da igualdade nos remete à natureza profunda de nossa irmandade diante das Leis Naturais. A percepção de nossa igualdade e fraternidade é a condição fundamental para que as nossas atitudes contribuam para a construção da liberdade comum, a que inclui a ajuda recíproca e o trabalho individual para a melhoria da qualidade de vida em sociedade. Este é o resultado da educação.


O contato com a experiência de Thomas Hircock nos remete a uma consideração memorável do professor Rivail, codificador da proposta filosófica do Espiritismo: "O Espiritismo não cria a renovação social; a madureza da Humanidade é que fará dessa renovação uma necessidade. Pelo seu poder moralizador, por suas tendências progressistas, pela amplitude de suas vistas, pela generalidade das questões que abrange, o Espiritismo é mais apto, do que qualquer outra doutrina, a secundar o movimento de regeneração; por isso, é ele contemporâneo desse movimento." (Item 25, do capítulo "São chegados os tempos", A Gênese).


A proposta espírita é uma proposta de educação da alma. Uma sensibilização das potencialidades humanas para que a razão, o sentimento e as atitudes sejam aplicadas na melhoria do bem estar comum em torno de uma proposta específica: a prática da caridade em toda a sua extensão. E não é possível praticar a caridade sem educar, os outros e a nós mesmos.


* André Henrique de Siqueira é bacharel em ciência da computação, professor e espírita.