Espiritismo .NET

Mulher tem 'premonição' e se casa com personagem de seu quadro

13 de julho de 2013



Mulher tem 'premonição' e se casa com personagem de seu quadro



Yahoo! Notícias


Desejar o homem dos seus sonhos, idealizá-lo e fazer um quadro no qual ele está retratado para depois encontrá-lo na vida real soa como algo quase impossível. Mas foi o que aconteceu com a britância Chloe Mayo, de 31 anos.


A artista plástica ganhou fama depois de pintar uma quadro, em 2009, no qual retratou o homem de seus sonhos. Algum tempo depois ela conheceu Michael Goeman em um site de relacionamentos, se apaixonou e, após alguns encontros, notou a semelhança com a figura de sua tela.


Assustada, ela chegou a esconder o quadro para que Michael não se assustasse e só o revelou depois que ambos já estavam totalmente apaixonados. De acordo com o jornal "Daily Mail", Chloe foi pedida em casamento logo na sequência e agora o quadro enfeita a parede da sala da casa onde o casal mora.


Notícia publicada no Yahoo! Notícias, em 29 de maio de 2013.



Breno Henrique de Sousa* comenta


O Destino


Essa notícia arranca suspiros mesmo dos menos românticos e é digna de um roteiro cinematográfico. Todos os dias escutamos casos surpreendentes de premonições que se realizam, nos fazendo perguntar se existe, de fato, o destino.


A questão do destino é um desses problemas filosóficos difíceis, afinal, existe espaço para o livre-arbítrio em um universo regido pelo destino? Temos, de fato, escolhas ou tudo já está predestinado e apenas temos a ilusão de que escolhemos? De outra maneira, se não houver destino, o que nos garante que existe uma ordem superior que garantirá que as coisas darão certo? Se tudo está em nossas mãos, então não existem regras que garantam que o bem vencerá e o mal sucumbirá.


O Espiritismo aporta uma visão interessante. O destino existe a partir das escolhas que fazemos, ou seja, nossas escolhas geram consequências que são, de certa forma, o nosso destino; é o que chamamos de lei de causa e efeito. Isso inclui o que chamamos de planejamento reencarnatório. Antes de reencarnarmos nessa existência física, dependendo do nosso merecimento, podemos decidir sobre alguns rumos de nossa existência, desde a escolha da família onde renasceremos, a condição socioeconômica, profissão e casamento. Não quer dizer que todos viemos com todos esses aspectos definidos, mas o natural é que os principais rumos de nossa existência física não se deem ao acaso. Se tudo acontece naturalmente, os fatos se desenrolam e o “destino” acaba acontecendo.


Porém, não existe destino de forma absoluta para cada pequeno ato de nossa existência. Existem circunstâncias que estão restritas apenas ao nosso livre-arbítrio, e mesmo aqueles rumos ou caminhos planejados podem ser alterados se decidirmos não seguir o rumo das coisas. Podemos alterar completamente os planos para uma reencarnação através, por exemplo, do suicídio. Ninguém vem ao mundo destinado a fazer o mal. Em todas as circunstâncias, a nossa missão é sempre melhorar-nos e fazer o bem.


Chloe Mayo vislumbrou o seu destino como tantas pessoas normais conseguem vislumbrá-lo através de um insight, sonho ou premonição. Que ela e o Michael sejam felizes juntos e que essa linda história de amor nos leve a pensar sobre o destino e nossas escolhas. Eles não teriam se encontrado se não tivessem ido adiante e buscado um parceiro. Para que o destino se realize é preciso que façamos a nossa parte. O destino, como uma correnteza, nos induz pelos caminhos, mas é preciso decidir navegar.


* Breno Henrique de Sousa é paraibano de João Pessoa, graduado em Ciências Agrárias e mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Paraíba. Ambientalista e militante do movimento espírita paraibano há mais de 10 anos, sendo articulista e expositor.