Espiritismo .NET

Menina órfã entra na universidade aos 14 anos no Zimbábue

17 de novembro de 2012



Menina órfã entra na universidade aos 14 anos no Zimbábue



Aos 14 anos, Maud Chifamba acaba de iniciar seus estudos em contabilidade na Universidade do Zimbábue. A menina superou uma vida de pobreza e perdas para se tornar a estudante mais jovem a ingressar na universidade no país africano - e em todo o sul do continente, segundo dados oficiais. Maud ganhou uma bolsa de quatro anos de estudos. "Meu sonho é me tornar contadora", declara. As informações são do site da CNN.


Nascida em uma família pobre na comunidade de reassentamento Hunters, em Chegutu, no centro do país, Maud perdeu o pai aos 5 anos de idade. A mãe morreu no ano passado. Os dois irmãos, que trabalham em uma fazenda, não tinham dinheiro para mantê-la em uma escola formal, então, a jovem começou a estudar por conta própria, em casa. "Eu estudei muito. A maior parte do dia e mesmo durante a noite", conta ela, ao afirmar que a morte dos pais a fez perceber que teria que tomar seu destino às próprias mãos. "Isso realmente me motivou a trabalhar duro, pois não havia ninguém para tomar conta de mim no futuro, a não ser eu mesma", acrescenta.


Dotada de inteligência natural, Maud teve o futuro traçado desde cedo. Suas professoras na escola primária, impressionadas com a aptidão da menina, decidiram transferi-la da 3ª para a 6ª série. Aos 9 anos, ela prestou os exames finais na escola primária, onde teve as melhores notas em todas as matérias. Por falta de apoio financeiro para realizar o ensino médio, Maud estudou sozinha e completou o chamado nível normal.


A prova de que o esforço valeu a pena veio em dezembro, quando ela conquistou 12 pontos nas provas do nível avançado de educação. "É fenomenal, ainda mais se você considerar que ela não estava na escola formal quando prestou os exames", afirma Gershem Pasi, comissário-geral da Autoridade Tributária do Zimbábue, que está patrocinando a educação universitária de Maud. Munyaradzi Madambi, decano dos estudantes da Universidade do Zimbábue, diz que a instituição está empenhada em ajudar sua "aluna maravilha" a se desenvolver e realizar seus sonhos, mas sem pressioná-la.


O Zimbábue tem uma taxa de alfabetização de adultos de 92%, uma das maiores na África de acordo com a Unicef. Madambi afirma que as pessoas no país têm um "apetite incrível e insáciavel por educação". "Normalmente, aqueles que vêm de meios mais desfavorecidos desejam trabalhar duro e ser bem-sucedidos, mas Maud é um caso excepcional em termos de capacidade intelectual", diz.


Notícia publicada no Portal Terra, em 24 de setembro de 2012.



Sonia Maria Ferreira da Rocha* comenta


André Luiz, no seu livro Nos Domínios da Mediunidade, psicografado por Chico Xavier, nos diz:


“Usando a alavanca da vontade, atingimos a realização de verdadeiros milagres... Entretanto, para isso, precisariam despender esforço heróico.”


Somos espíritos imperfeitos, necessitados de aprendizado em vários segmentos da nossa vida. Daí, a necessidade do esforço a que André Luiz faz referência.


É essa vontade, quando estamos, realmente, motivados no objetivo final, que faz com que evoluamos na escala espiritual. Nesse caso, a necessidade de melhoramento desse espírito é na esfera intelectual, etapa importantíssima para a nossa evolução como espíritos eternos, como um todo.


Independente do grau de evolução em que estejamos, em alguns momentos nos sentimos frágeis e incompetentes para resolver os desafios que se apresentam em nossa caminhada. Porém, são nesses momentos que demonstramos a nossa fé, a confiança no Pai, na certeza de que Ele nunca nos abandona nas horas de dificuldades.


Precisamos da prece para reequilibrar e fortalecer as nossas energias, para não fraquejar na luta que escolhemos, enfim, para que sejamos vencedores na nossa reencarnação.


Encontramos, na oração, a calma, o conforto, o alívio e, até mesmo, a solução para os nossos males, para as horas de desânimo, de aflição e de desespero que nos atingem em determinados momentos da nossa caminhada. É um diálogo misterioso e íntimo que estabelecemos, expondo através do pensamento as nossas angústias, as nossas desilusões; imploramos socorro, apoio, indulgência, coragem.


E, então, nos sentimos mais fortes, mais confiantes, mais confortados, mais determinados e mais ricos interiormente. Assim deve ser a oração: uma busca pelos raios divinos que nos dão mais força, coragem e perseverança na nossa luta.


São exemplos como o dessa jovem que mostram que o sonho é possível de se realizar, quando trilhamos o caminho do bem, quando seguimos os exemplos que o Mestre Jesus nos deixou.


Vejamos o ensinamento que Léon Denis deixou, sobre o assunto:


“Querer é poder! O poder da vontade é ilimitado. O homem, consciente de si mesmo, de seus recursos latentes, sente crescerem suas forças na razão dos esforços. Sabe que tudo o que de bem e bom desejar há de, mais cedo ou mais tarde, realizar-se inevitavelmente, ou na atualidade ou na série das suas existências, quando seu pensamento se puser de acordo com a Lei divina. E é nisso que se verifica a palavra celeste: “A fé transporta montanhas.”


Maud Chifamba teve todos os motivos para desistir do seu sonho: sua vida pobre, um país com inúmeras dificuldades de desenvolvimento, órfão de pai desde muito cedo, que se transformou na alavanca de sua luta, o trabalho na lavoura... Tudo isso poderia se transformar no empecilho de realização da sua felicidade. Mas, fez de todas essas dificuldades o maior desafio para sua superação.


Por isso, é legitimo lutar, apesar das nossas dificuldades, por um mundo melhor, pela nossa felicidade. Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, assim define o valor dos nossos esforços, nessas infinitas oportunidades que o Pai sempre nos abençoa:


“A vida é uma escola. Por mais difícil que seja o processo educativo a que nos vejamos submetidos, saibamos valorizar o tempo, agradecendo e trabalhando ao invés de reclamar ou ferir.”


* Sonia Maria Ferreira da Rocha reside em Angra dos Reis, RJ, estuda o Espiritismo há mais de 30 anos e é colaboradora regular do Espiritismo.net.