Espiritismo .NET

Carinho e lazer não são valorizados pelos pais

1º de novembro de 2012



Carinho e lazer não são valorizados pelos pais



O Ibope ouviu mais de 2 mil pessoas em 18 capitais brasileiras


Em uma pesquisa realizada pelo Ibope com mais de 2 mil pessoas em 18 capitais brasileiras, foi apontado um resultado inquietante: o carinho e o lazer não são prioridades dos pais na primeira infância dos filhos. Quando questionados sobre o que é mais importante para o desenvolvimento das crianças de 0 a 3 anos, 51% dos entrevistados responderam que a principal contribuição é levá-las ao pediatra regularmente e dar as vacinas.


Apenas 20% deles acreditam na importância de brincar, passear e conversar. Socializar com outras crianças é algo defendido por um porcentual ainda menor: 8% deles. Pelo que foi visto, a saúde das crianças na primeira infância vem em primeiro lugar, enquanto outros fatores fundamentais para o seu desenvolvimento ainda são deixados em segundo plano.


Os resultados da pesquisa mostram, ainda, o desconhecimento dos pais em relação ao que ocorre em cada etapa do desenvolvimento infantil. Mais da metade dos entrevistados acreditam que o bebê só tem a capacidade de aprender a partir dos 6 meses. A conclusão é que para a maioria dos pais, as questões práticas são mais urgentes do que estabelecer os vínculos afetivos.


Matéria publicada na Revista Pais & Filhos, em 14 de setembro de 2012.



Sonia Maria Ferreira da Rocha* comenta


Essa notícia nos mostra o resultado de uma pesquisa onde “o carinho e o lazer não são prioridades dos pais na primeira infância dos filhos”.


Infelizmente, essa é a nossa realidade. Pais despreparados, devido ao mau uso do sexo. Atualmente, pela sua banalização, o sexo vem sendo usado sem a devida responsabilidade, sem maturidade necessária, em busca tão somente do prazer, sem nenhuma prevenção adequada para evitar uma gravidez indesejada e as doenças sexualmente transmissíveis.


Vejamos o que André Luiz coloca sobre o assunto, no livro Missionários da Luz, psicografado por Chico Xavier:


“É lamentável que a maioria dos nossos irmãos encarnados na Crosta tenha menosprezado as faculdades criativas do sexo, desviando-as para o vórtice de prazeres inferiores. Todos pagarão, porém, ceitil por ceitil, o que devem ao altar santificado, através de cuja porta receberam a graça de trabalhar e aprender na superfície da Terra. Todo ato criador está cheio de sagradas comoções da Divindade e são essas comoções sublimes da participação da alma, nos poderes criadores da Natureza, que os homens conduzem, imprevidentemente, para a zona do abuso e da viciação. Tentam arrastar a luz para as trevas e convertem os atos sexuais, profundamente veneráveis em todas as suas características, numa paixão viciosa tão deplorável como a embriaguez ou a mania do ópio. Entretanto, sem que os olhos mortais lhes observem as angústias retificadoras, todos os infelizes, em semelhantes despenhadeiros, são punidos severamente pela Natureza divina.”


O amor, o carinho, o cuidado a um filho devem ser prioridades não só na primeira infância, e sim muito antes do seu nascimento, ou seja, a partir do conhecimento da concepção. O bebê, dentro do ventre da mãe, participa, diretamente, de todos os sentimentos daquela que o está alimentando fisicamente.


Sabemos que o comprometimento entre pais e filhos vem de muito antes do seu nascimento. São encontros necessários para a evolução espiritual de todos os envolvidos na família. E, sempre, será o amor a matéria prima principal para a vitória do planejamento reencarnatório. Sejamos fiéis ao cumprimento dos nossos deveres, que o Pai espera de nós, nessa bendita tarefa em favor de uma humanidade mais feliz.


“No ambiente doméstico, o coração maternal deve ser o expoente divino de toda a compreensão espiritual e de todos os sacrifícios pela paz da família.” (Emmanuel.)


* Sonia Maria Ferreira da Rocha reside em Angra dos Reis, RJ, estuda o Espiritismo há mais de 30 anos e é colaboradora regular do Espiritismo.net.