Espiritismo .NET

Inquérito apura aborto por engano de gêmeo saudável na Austrália

Inquérito apura aborto por engano de gêmeo saudável na Austrália



Um hospital de Melbourne, na Austrália, abriu um inquérito para apurar o caso do aborto de um feto sadio, confundido com seu irmão gêmeo.


Médicos disseram à mãe dos gêmeos que um de seus bebês tinha um problema cardíaco congênito que requereria várias cirurgias durante sua vida, caso ele sobrevivesse.


A mãe escolheu por abortar o feto de 32 semanas, mas, na última terça-feira, os funcionários do Royal Women’s Hospital realizaram o procedimento, por meio de injeção, no bebê sadio.


O hospital descreveu o caso como uma "tragédia terrível". A mãe teve de passar por uma cesariana para acabar com a vida do feto doente.


"O Royal Women’s Hospital pode confirmar que um incidente clínico infeliz ocorreu na terça-feira", declarou o hospital, em um comunicado.


"Nós estamos conduzindo uma investigação completa e continuando a oferecer todo o apoio à família e aos funcionários afetados", afirmou a instituição.



Supervisão independente


O ministro da Saúde do Estado de Victoria, David Davis, disse que a investigação do hospital seria supervisionada por um especialista independente.


"Eu estou muito determinado para chegar até o fundo do que deu errado", afirmou o ministro.


"Eu não acho que seja apropriado para ninguém tirar quaisquer conclusões, além do fato que isto é uma tragédia horrível", disse o primeiro-ministro de Victoria, Ted Baillieu.


"Nós vamos assegurar que a investigação seja o mais completa possível", afirmou.


Em um comunicado breve, a família pediu por privacidade durante "um momento que tem sido muito difícil".


Notícia publicada na BBC Brasil, em 24 de novembro de 2011.



Carlos Miguel Pereira* comenta


A vida, como um processo de crescimento espiritual, está repleta de conflitos íntimos, de desafios à persistência e de intrincadas encruzilhadas que testam a verdade das convicções adquiridas. Para que as decisões tomadas nos levem pelo trilho do que é certo, é fundamental que elas assentem num conhecimento sólido do que é a vida e em princípios éticos e morais inabaláveis. Não é o que acontece muitas vezes. A ilusão provocada pela lógica materialista, que ainda prevalece na nossa sociedade, sendo incapaz de distinguir o Homem para além da sua condição biológica, origina diversas escolhas precipitadas que resultam em dolorosos equívocos.


Tal como outros comportamentos, o aborto é uma lamentável consequência da ignorância que ainda existe acerca do que é a vida e sobre as leis naturais que a regem. Para combater essa ignorância e podermos transformar a sociedade, existe apenas um caminho: “(...) Só a educação poderá reformar os Homens (...)”, diz-nos O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, na sua questão 796. Na verdade, a educação transformadora é a maior contribuição que o Espiritismo pode oferecer à sociedade. O Espiritismo é um apelativo convite para que nos libertemos das amarras castradoras da ignorância e das crenças dogmáticas. Usando o amor e a fraternidade como instrumentos sublimes da sua pedagogia, o Espiritismo revela ao Homem a sua condição de Espírito imortal, Espírito esse que dispõe de inúmeras oportunidades em vidas sucessivas para corrigir os seus erros e sublimar as suas potencialidades. Os desafios não superados, os equívocos cometidos ficam dolorosamente gravados na consciência, que os recapitula constantemente, podendo estar na origem de dores espirituais e emocionais que só conseguirão ser extinguidas através da sua superação em futuras existências.


A Doutrina Espírita abre o horizonte do Homem para o infinito, libertando-o da visão atrofiada, material, imediata e egoísta a que sempre esteve relegado. A vida não começa na concepção nem no nascimento, tal como não termina com a morte do corpo. A vida é um processo dinâmico e pedagógico, em que o Espírito evolui gradualmente em amor e sabedoria desde a sua condição simples até à perfeição.


Ao ser verdadeiramente assimilada a ética Espírita, as pessoas tendem a orientar as suas decisões a partir de uma realidade fundamental que trancende a vida física. São incitadas pela sua consciência a comportamentos mais fraternos, tolerantes e humanistas, dão mais atenção à resolução dos seus conflitos íntimos e ao conhecimento de si mesmo, aprendendo a compreender que todos os obstáculos que a vida lhes coloca, por mais difíceis que sejam, são desafios e experiências iluminativas a serviço do seu crescimento espiritual rumo à felicidade.


* Carlos Miguel Pereira trabalha na área de informática e é morador da cidade do Porto, em Portugal. Na área espírita, é trabalhador do Centro Espírita Caridade por Amor (CECA), na cidade do Porto, e colaborador regular do Espiritismo.net.