Espiritismo .NET

Cientistas esperam até 2012 resposta sobre a ‘partícula de Deus’

Cientistas esperam ter resposta sobre existência da ‘partícula de Deus’ até o fim de 2012



O Globo


RIO - O Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), maior acelerador de partículas do mundo, está funcionando "extremamente bem", mas os cientistas ainda terão que esperar até o final de 2012 para saber se a chamada "partícula de Deus", ou bosón de Higgs, existe, o que explicaria um dos mistérios do Universo: por que a matéria tem massa.


Isso foi o que expôs o diretor geral do Centro Europeu de Investigação Nuclear (CERN) em Genebra, Rolf Heuer, na apresentação dos resultados científicos do primeiro ano de funcionamento do LHC, conhecido popularmente como a "máquina do Big Bang", durante a Conferência de Eurofísica sobre Física de Altas Energias, que reúne 700 cientistas na França.


- Teremos essa resposta no fim de 2012 - disse Heuer, que assinalou que não se pode esperar "muito e muito em pouco tempo", já que se trata do primeiro ano de trabalho de uma máquina planejada para permanecer em operação por duas décadas.


O LHC, um acelerador de partículas construído em um túnel circular de 27 quilômetros, está funcionando melhor do que se esperava, afirmou o cientista, de acordo com reportagem publicada no jornal espanhol "El Mundo". Proposto em 1964 pelo escocês Peter Higgs, o bóson seria o responsável por dotar de massa tudo o que existe no Universo, transformando gases em galáxias, estrelas e planetas. A partícula também possibilitaria o surgimento da vida na Terra e, talvez, em outros locais do Cosmos. Por isso há tanta expectativa de que o LHC forneça provas de sua existência.


Notícia publicada no Jornal O Globo, em 25 de julho de 2011.



Luiz Gustavo C. Assis* comenta


Conhecer os mistérios da criação, do princípio do universo, sempre foi uma preocupação entre os homens. Desvendar os mistérios que cercam a Gênese, saber de onde viemos, como se deu a formação da matéria são questões de extrema importância não apenas para sabermos de onde viemos e para onde iremos, contudo são interrogações que sempre intrigaram e que nos intrigarão por muito tempo, ainda.


Preocupado com estas questões, Allan Kardec, codificador da doutrina espírita, como homem culto do seu tempo, em O Livro dos Espíritos, questiona aos Espíritos Superiores se, um dia, ao homem será dado o conhecimento do princípio das coisas, ao que recebe a seguinte resposta: “Não, Deus não permite que ao homem tudo seja revelado neste mundo.” Procurando investigar um pouco mais, o codificador faz as seguintes perguntas:


“18. Penetrará o homem um dia o mistério das coisas que lhe estão ocultas?” Resposta: “O véu se levanta a seus olhos, à medida que ele se depura; mas, para compreender certas coisas, são-lhe precisas faculdades que ainda não possui.”


“19. Não pode o homem, pelas investigações científicas, penetrar alguns dos segredos da Natureza?” Resposta: “A Ciência lhe foi dada para seu adiantamento em todas as coisas; ele, porém, não pode ultrapassar os limites que Deus estabeleceu.”


E, na questão 39, questiona: “Poderemos conhecer o modo de formação dos mundos?” Resposta: “Tudo o que a esse respeito se pode dizer e podeis compreender é que os mundos se formam pela condensação da matéria disseminada no Espaço.”


O Livro dos Espíritos foi lançado em abril de 1857. De lá para cá o homem avançou muito em termos científicos e tecnológicos, porém ainda faz os mesmos questionamentos que Kardec fez aos Espíritos na Codificação Espírita. Tudo que a ciência sabe através dos experimentos científicos, em relação à formação dos mundos, é justamente o que nos foi dito pelos espíritos: “os mundos se formam pela condensação da matéria disseminada no Espaço.” Mas, como? De que forma se dá essa condensação? Não o sabemos. Tudo o que temos até agora são teorias, ainda não confirmadas.


Será que hoje, ao contrário da época de Kardec, já temos condições intelecto-morais de entender como se dá a formação dos mundos? Já possuímos o sentido que nos faltava ao século XIX?


Sabemos que a Ciência foi dada ao homem justamente para investigar os fenômenos da natureza. É através da ciência que o homem desvendará os mistérios do universo. Sabemos, também que, aos poucos, o véu que cobre os enigmas naturais vai sendo retirado, à medida que o homem amadurece intelectualmente e Deus assim o permite. Será que O Colisor de Hádrons (LHC), maior acelerador de partículas do mundo, conseguirá trazer as respostas das perguntas que nos fazemos há tanto tempo? Esperamos que sim. Esperamos, também, que encontrando estas respostas a ciência se aproxime cada vez mais de Deus, notando que há sim um princípio inteligente por trás de tudo o que ocorre no universo e que “Deus, espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal.” (questão 27, de O Livro dos Espíritos.)


Assim, como os cientistas, nos encontramos esperançosos de que mais este mistério seja solucionado, contudo, enquanto não encontramos as soluções, precisamos nos contentar com a resposta dos espíritos: “A Ciência lhe foi dada para seu adiantamento em todas as coisas; ele, porém, não pode ultrapassar os limites que Deus estabeleceu.” E com a nossa pequenez frente à grandeza de Deus e do universo. Saibamos, dessa maneira, ter paciência e aguardar as respostas que tanto ansiamos, lembrando sempre que tudo acontece por permissão de Deus e no seu tempo, quando estamos preparados.


* Luiz Gustavo C. Assis é psicólogo, trabalhador do Centro Espírita Maranhense, em São Luís do Maranhão, e da equipe do Espiritismo.net.