Espiritismo .NET

Cientista prevê a ‘cura’ do envelhecimento

Cientista prevê a ‘cura’ do envelhecimento



Por Kate Kelland | Reuters


LONDRES (Reuters) - Se as previsões de Aubrey de Grey estiverem certas, a primeira pessoa a comemorar seu aniversário de 150 anos já nasceu. E a primeira pessoa a viver até os mil anos pode demorar menos de 20 anos para nascer.


Biomédico gerontologista e cientista-chefe de uma fundação dedicada a pesquisas da longevidade, De Grey calcula que, ainda durante a sua vida, os médicos poderão ter à mão todas as ferramentas necessárias para "curar" o envelhecimento - extirpando as doenças decorrentes da idade e prolongando a vida indefinidamente.


"Eu diria que temos uma chance de 50 por cento de colocar o envelhecimento sob aquilo que eu chamaria de nível decisivo de controle médico dentro de mais ou menos 25 anos", disse De Grey numa entrevista antes de proferir uma palestra no Britain’s Royal Institution, uma academia britânica de ciências.


"E por ‘decisivo’ quero dizer o mesmo tipo de controle médico que temos sobre a maioria das doenças infecciosas hoje", acrescentou.


De Grey antevê uma época em que as pessoas irão ao médico para uma "manutenção" regular, o que incluiria terapias genéticas, terapias com células-tronco, estimulação imunológica e várias outras técnicas avançadas.


Ele descreve o envelhecimento como o acúmulo de vários danos moleculares e celulares no organismo. "A ideia é adotar o que se poderia chamar de geriatria preventiva, em que você vai regularmente reparar o danos molecular e celular antes que ele chegue ao nível de abundância que é patogênico", explicou o cientista, cofundador da Fundação Sens (sigla de "Estratégias para a Senilitude Programada Desprezível"), com sede na Califórnia.


Não se sabe exatamente como a expectativa de vida vai se comportar no futuro, mas a tendência é clara. Atualmente, ela cresce aproximadamente três meses por ano, e especialistas preveem que haverá um milhão de pessoas centenárias no mundo até 2030.


Só no Japão já há mais de 44 mil centenários, e a pessoa mais longeva já registrada no mundo foi até os 122 anos.


Mas alguns pesquisadores argumentam que a epidemia de obesidade, espalhando-se agora dos países desenvolvidos para o mundo em desenvolvimento, poderá afetar a tendência de longevidade.


As ideias de De Grey podem parecer ambiciosas demais, mas em 2005 o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ofereceu um prêmio de 20 mil dólares para qualquer biólogo molecular que provasse que as teorias da Fundação Sens são "tão erradas que nem são dignas de um debate bem informado". Ninguém levou a bolada.


O prêmio foi instituído depois que um grupo de nove cientistas influentes atacou as teorias de Grey, qualificando-as de "pseudociência". Os jurados concluíram que o rótulo não era justo, e argumentaram que o Sens "existe em um meio termo de ideias ainda não testadas que algumas pessoas podem considerar intrigantes, mas das quais outras estão livres para duvidar."


Notícia publicada no Yahoo! Notícias, em 4 de julho de 2011.



Reinaldo Monteiro Macedo* comenta


Foi noticiado pela Reuters que o biomédico gerontologista e cientista-chefe de uma fundação dedicada a pesquisas da longevidade, Aubrey de Grey, calcula que, ainda durante a sua vida, os médicos poderão ter à mão todas as ferramentas necessárias para "curar" o envelhecimento extirpando assim as doenças decorrentes da idade e prolongando a vida indefinidamente.


Ele julga que 50% existe de chance de colocar o envelhecimento sob aquilo que ele chamaria de “nível decisivo de controle médico dentro de mais ou menos 25 anos", em palestra que proferiu na academia britânica de ciências, a Britain’s Royal Institution.


Ele ainda prevê uma época em que as pessoas irão ao médico para uma "manutenção" regular, o que incluiria terapias genéticas, terapias com células-tronco, estimulação imunológica e várias outras técnicas avançadas.


Ele descreve o envelhecimento como o acúmulo de vários danos moleculares e celulares no organismo. "A ideia é adotar o que se poderia chamar de geriatria preventiva, em que a pessoa vai regularmente reparar o danos moleculares e celulares antes que eles cheguem ao nível de abundância que é patogênico", explicou o cientista, que também é co-fundador da Fundação Sens (sigla de "Estratégias para a Senilitude Programada Desprezível"), com sede na Califórnia.


Não se sabe exatamente como a expectativa de vida vai se comportar no futuro, mas a tendência é clara. Atualmente, ela cresce aproximadamente três meses por ano, e especialistas prevêm que haverá um milhão de pessoas centenárias no mundo até 2030.


Só no Japão já há mais de 44 mil centenários, e a pessoa mais idosa já registrada no mundo foi até os 122 anos.


As ideias de De Grey podem parecer ser ambiciosas demais, mas em 2005 o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ofereceu um prêmio de 20 mil dólares para qualquer biólogo molecular que provasse que as teorias da Fundação Sens são "tão erradas que nem são dignas de um debate bem informado". Ninguém levou a bolada.


O prêmio foi instituído depois que um grupo de nove cientistas influentes atacou as teorias de Grey, qualificando-as de "pseudociência". Os jurados concluíram que o “rótulo” não era justo, e argumentaram que Sens "existe em um meio termo de ideias ainda não testadas que algumas pessoas podem considerar intrigantes, mas das quais outras estão livres para duvidar."


Sob a ótica espírita, se a inteligência do homem, que é uma propriedade do espírito criado por Deus, vier a viabilizar essa teoria, tal fato será encarado com naturalidade, demonstrando mais um passo evolutivo do espírito do homem na sua eterna jornada rumo à felicidade relativa a que estamos fadados por Deus.


Lembramos aqui, que há 300 anos não conhecíamos a eletricidade, a energia atômica, a tomografia computadorizada, a ressonância magnética, vacinas, etc, e que, exatamente pelas pesquisas, os homens foram levados, ao perguntarem o porquê das coisas, e obtiveram as respostas, as quais hoje usufruímos.


Cada vez vemos com clareza absoluta natural a aproximação da Ciência com a Religião, tal como Kardec nos deixou codificado em O Livro dos Espíritos, em O Evangelho Segundo o Espiritismo e em A Gênese.


* Reinaldo Monteiro Macedo é aposentado, administrador e analista de sistemas de formação, expositor de estudos e colaborador do Centro Espírita Nair Montez de Castro no Rio de Janeiro/RJ e de algumas outras Casas.