Espiritismo .NET

Cinco horas após "morrer", mulher "ressuscita" em funerária

Cinco horas após "morrer", mulher "ressuscita" em funerária



Do UOL Tabloide
Em São Paulo


Uma mulher de 45 anos "ressuscitou" quando o corpo era preparado para o sepultamento em uma funerária da cidade colombiana de Cali, informa a imprensa local.


O caso surpreendente, descrito pelos médicos como "síndrome de Lázaro", aconteceu na madrugada de terça-feira, cinco horas depois da mulher ter sido declarada morta na clínica em que havia sido internada na segunda-feira em estado grave, por uma doença neurológica.


"Os instrumentos eletrônicos aos quais a paciente estava conectada mostravam que não tinha pressão arterial, nem frequência cardíaca", afirmou o médico Miguel Ángel Saavedra.


Ele explicou que o médico responsável pelo caso e a enfermeira chefe da clínica assinaram o atestado de óbito. Pouco depois, funcionários de uma funerária levaram o corpo, que seria preparado para o enterro.


"Quando seria aplicado o formol, a paciente começou a respirar novamente e a fazer movimentos", disse Saavedra.


"Não há uma explicação científica para o fato", completou.


A mulher, que não teve a identidade revelada, foi novamente internada na mesma clínica e está em coma.


Fonte: AFP


Notícia publicada no Portal UOL, em 17 de fevereiro de 2010.



Sergio Rodrigues* comenta


Este é mais um caso que ficaria sem explicação não fosse o conhecimento das leis espirituais. Sem esse conhecimento, a interpretação do que ocorreu ficaria no campo do "milagroso" ou, como disse o médico responsável, sem uma explicação científica para o caso.


Allan Kardec, no livro A Gênese, analisa a conhecida passagem evangélica ocorrida com Lázaro, semelhante ao fato narrado na notícia ora comentada. Explica o Codificador que, no estado de letargia ou de catalepsia, cuja duração pode variar, o espírito fica ligado ao corpo físico apenas por alguns pontos fluídicos, fazendo com que o corpo assuma a aparência de morto e podendo, mesmo, entrar em decomposição parcial, ainda que a vida não tenha sido extinta. Por uma ação energética própria ou externa, o espírito pode restaurar por completo as ligações fluídicas que o prendem ao corpo, retomando a vida normal. Em consequência dessa retomada da ligação fluídica plena do espírito ao corpo, recobrando suas faculdades físicas, é que se costuma dizer que a pessoa ressuscitou. Muito provavelmente, foi o que aconteceu no caso presente.


É claro que, apesar das aparências, a morte ainda não havia se consumado. Se esta houvesse se concretizado, não haveria como o corpo retomar a vida, pois o espírito já estaria em processo de separação em relação ao corpo. Uma vez tendo deixado o corpo, não há como o espírito retomá-lo, pois a sua união ao corpo somente se opera molécula a molécula, mediante processo de reencarnação. São fatos que raramente acontecem. No caso de Lázaro, Jesus, como tinha conhecimento pleno acerca das coisas materiais e imateriais, conhecendo em profundidade todas as leis que as regem, desde logo percebeu que Lázaro não havia morrido e, através de uma transfusão de energias, fez com que ele retornasse as faculdades materiais. No caso presente, o que pode ter ocorrido é que uma interferência espiritual revigorou a ligação fluídica do espirito ao corpo, que se encontrava prestes a se romper definitivamente.


* Sergio Rodrigues é espírita e colaborador do Espiritismo.Net.