Espiritismo .NET

Garoto de dois anos fuma 40 cigarros por dia

Garoto de dois anos fuma 40 cigarros por dia



25% das crianças na Indonésia têm contato com o cigarro


Do R7


Um garoto na Indonésia, com apenas dois anos, fuma 40 cigarros por dia, o que equivale a dois maços comuns. A criança ganhou o primeiro cigarro do próprio pai, quando tinha um ano e oito meses.


Na Indonésia, o hábito é muito comum entre as crianças. O índice de tabagismo chega a 25% na faixa etária entre cinco e nove anos – 3% são dependentes. O pai do garoto diz que o filho parece saudável.


Notícia publicada no Portal R7, em 26 de maio de 2010.



Sonia Maria Ferreira da Rocha* comenta


Creio que essa notícia tem surpreendido a todos que a leem.


É realmente impressionante até onde vai a irresponsabilidade do ser humano. Quando pensamos que já vimos tudo, aparece na mídia uma notícia tão chocante como esta.


Sabemos o quanto o fumo é prejudicial a qualquer ser humano, mas um bebê fumante é algo que é incompreensível a qualquer ser racional. Pior e inadmissível quando os pais são os responsáveis por essa barbárie. É inacreditável.


Quando Deus coloca em nossas mãos a responsabilidade de pais, espera de nós o dever de educar e direcionar esse ser pelo caminho do bem e da sua evolução espiritual, moral e intelectual.


Fracassar nessa tarefa nos coloca em um lugar muito desfavorável no tribunal da nossa consciência. Imagine ser o agente de um desregramento onde deveria ser o orientador de uma vida em busca da perfeição.


“Os pais assumem desde antes do berço com aqueles que receberão na condição de filhos compromissos e deveres que devem ser exercidos, desde que serão, também, por sua vez, meios de redenção pessoal perante a consciência individual e a Cósmica que rege os fenômenos da vida, nos quais todos estamos mergulhados.” (De Leis Morais da Vida, pelo espírito Joanna de Ângelis.)


É dentro do lar que o ser humano começa desenvolver e aperfeiçoar seus valores, assim como a restringir suas más índoles. Para isso, valemo-nos do carinho e da orientação dos nossos pais. Essa é a lei natural das coisas. E é o que Deus espera de nós. É como pais que nos tornamos seus auxiliares na escalada evolutiva de um mundo melhor.


Em O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, temos a seguinte questão, referente aos pais:


"582) Pode-se considerar como missão a paternidade?


É, sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem.... Se este vier a sucumbir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem."


Eis a orientação que os Espíritos nos fornecem diante da responsabilidade e do compromisso que assumimos no nosso planejamento reencarnatório.


* Sonia Maria Ferreira da Rocha reside em Angra dos Reis, RJ, estuda o Espiritismo há mais de 30 anos e é colaboradora regular do Espiritismo.net.