Espiritismo .NET

Palavras dos sábios: especialistas definem sabedoria

Palavras dos sábios: especialistas definem sabedoria



Redação do Diário da Saúde


O que é sabedoria?


Compaixão. Autocompreensão. Moralidade. Estabilidade emocional.


Estas palavras parecem descrever pelo menos algumas das características universais atribuídas à sabedoria, cada uma delas amplamente reconhecida e valorizada.


Mas, a rigor, não existe uma definição persistente e coerente do que significa exatamente ser sábio.



Questão de hardware


A sabedoria é uma virtude muito desejada, mas essencialmente inexplicada, um tema atemporal que só agora começa a atrair o escrutínio rigoroso dos cientistas.


Em 2009, Dilip V. Jeste e Thomas W. Meeks, ambos professores do departamento de psiquiatria da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, publicaram um artigo propondo que a sagacidade - uma forma "mais acadêmica" de nomear a sabedoria - pode ter uma base neurobiológica.


Em outras palavras, eles propuseram que a sabedoria tem bases fisiológicas.



Sabedoria, inteligência e espiritualidade


Na edição de junho da revista The Gerontologist, Jeste e Meeks tentam ir um pouco além, tentando identificar os elementos centrais e unificadores que definem a sabedoria.


Juntamente com colegas de outras quatro universidades, Jeste e Meeks pediram a um grupo internacional de especialistas para caracterizar os traços da sabedoria, da inteligência e da espiritualidade - e medir como cada traço é semelhante ou diferente dos outros.


"Há várias definições de sabedoria, mas nenhuma definição que, sozinha, abarque todos os aspectos importantes da sabedoria," disse Jeste. "Inteligência e espiritualidade compartilham características com a sabedoria, mas não são a mesma coisa. Alguém pode ser inteligente, mas lhe faltar conhecimento prático. A espiritualidade é frequentemente associada com a idade, como a sabedoria, mas a maioria dos pesquisadores tende a definir a sabedoria em termos seculares, não espirituais."



Especialistas em sabedoria


A pesquisa consistiu em um levantamento em duas partes e um questionário composto de 53 afirmações relacionadas aos conceitos de sabedoria, inteligência e espiritualidade. Cinquenta e sete especialistas foram identificados e contactados por e-mail; 30 deles responderam e participaram da pesquisa.


A pesquisa foi realizada usando o método Delphi, desenvolvido pela RAND Corporation na década de 1950 e baseado no princípio de que as previsões de um grupo estruturado de especialistas são mais precisas do que as previsões de grupos ou indivíduos não-estruturados.



Estudando a sabedoria


A fase 1 do estudo revelou diferenças significativas entre os conceitos em 49 das 53 afirmações. A sabedoria foi diferenciada da inteligência em 46 dos 49 itens, e da espiritualidade em 31 itens.


Na Fase 2, a definição de sabedoria foi ainda mais refinada, centrando-se em 12 itens dos resultados da Fase 1.


A pesquisa pediu aos especialistas que classificassem a pertinência e importância de seis afirmações (como, por exemplo, "O conceito pode ser aplicado aos seres humanos."), com base em seu conhecimento de evidências empíricas, para os conceitos de inteligência, sabedoria e espiritualidade.


A escala de avaliação variava de 1 (definitivamente não) a 9 (definitivamente sim).


A seguir, os especialistas avaliaram a importância de 47 componentes - tais como o altruísmo, habilidades para a vida prática, o senso de humor, realismo, a disposição para perdoar os outros e a auto-estima - para os conceitos de sabedoria, inteligência e espiritualidade.



Definição de sabedoria


A maioria dos especialistas, afirmam Jeste e Meeks, concordou que a sabedoria pode ser caracterizada da seguinte forma:


É exclusivamente humana.
É uma forma avançada de desenvolvimento cognitivo e emocional alimentado pela experiência.
É uma qualidade pessoal e rara.
Ela pode ser aprendida, aumenta com a idade e pode ser medida.
Ela provavelmente não é reforçada pelo uso de medicação.


"Uma única pesquisa, evidentemente, não pode definir a sabedoria total e completamente," diz Jeste. "O valor aqui é que houve uma concordância considerável entre os especialistas de que a sabedoria é de fato uma entidade distinta, com uma série de qualidades características. Os dados da nossa pesquisa devem ajudar a projetar futuros estudos empíricos sobre a sabedoria."


Notícia publicada no Diário da Saúde, em 17 de maio de 2010.



Leila Henriques* comenta


Parar conceituar sabedoria, vamos recorrer ao dicionário para lhe dar uma definição geral.


Sabedoria: Grande soma de conhecimentos; erudição, saber, ciência. Qualidade de sábio. Grande circunspeção e prudência; juízo, bom senso, razão, retidão. Teologicamente falando, é o conhecimento inspirado das coisas divinas e humanas.


Quanto ao artigo, vamos ficar com a conclusão, que nos parece não ser definitiva, aguardando novas pesquisas.


Na conclusão, então vemos sabedoria como sendo:


• Exclusivamente humana.
• Uma forma avançada de desenvolvimento cognitivo e emocional alimentado pela experiência.
• Uma qualidade pessoal e rara.
• Ela pode ser aprendida, aumenta com a idade e pode ser medida.
• Ela provavelmente não é reforçada pelo uso de medicação.


À luz da Doutrina Espírita, poderíamos ver  estas conclusões da seguinte forma:


- Exclusivamente humana?
Sim, pois para ser-se sábio é preciso ter-se os atributos descritos pelo dicionário, como erudição, saber, circunspeção, prudência, bom senso, razão, retidão e, finalmente, conhecimento das coisas divinas e humanas. Essas qualidades somente podem ser atribuídas ao princípio inteligente individualizado no Espírito.


- Uma forma avançada de desenvolvimento cognitivo e emocional alimentado pela experiência?
Certamente a Doutrina concorda com esta colocação, pois que atribui às experiências múltiplas, vivenciadas numa infinidade de reencarnações, a oportunidade de adquirir-se todas as qualidades atribuídas àquele Espírito ao qual poder-se-á classificar como sábio e que pertencerá à ordem dos Bons Espíritos ou a dos Espíritos Puros.


- Uma qualidade pessoal e rara.
No estágio de Espíritos afins com mundos de provas e expiações, certamente é a sabedoria uma qualidade rara e que se encontra descrita na quarta classe da segunda ordem da Escala Espírita, classe esta justamente denominada de “Espíritos Sábios”. Por isso, ainda é rara em nosso mundo.


- Ela pode ser aprendida, aumenta com a idade e pode ser medida.
Na Questão 909, de O Livro dos Espíritos, Allan Kardec pergunta aos instrutores espirituais se o homem, pelos seus esforços, sempre poderia vencer as suas más inclinações, e os Espíritos respondem que sim e que, frequentemente, fazendo esforços muito insignificantes. O que lhe falta é a vontade. Então, com pequenos esforços, poderíamos ir aprendendo a ser sábios, adquirindo aos poucos as características da sabedoria e com estes mesmos esforços ir aumentando em quantidade e intensidade essas características. A idade entra nesse processo como auxílio do tempo no amadurecimento espiritual. A melhor medida para o quantum de sabedoria não é a que os homens de Ciência podem utilizar, mas é aquela dada pela própria consciência, pois é lá que se acha inserida as Leis Divinas, que são os parâmetros com os quais melhor se medirá a sabedoria.


- Ela provavelmente não é reforçada pelo uso de medicação.
Para a Doutrina Espírita, a sabedoria não é fisiológica, é aquisição espiritual e, como tal, o único remédio que a favorece é a vontade fortalecida.


* Leila Henriques é espírita e colabora na divulgação da Doutrina Espírita na Internet.