Espiritismo .NET

A fé ajuda a melhorar a sua saúde?

A fé ajuda a melhorar a sua saúde?



Será que a fé ajuda a melhorar a saúde?


No hospital israelita Albert Einstein, a sinagoga é ecumênica e virou portal da esperança de quem tem fé, independentemente do credo. “Isso ajuda a pessoa a batalhar para se recuperar e se curar”, disse o rabino Arnold Turcheck.


O médico Wilson Nogueira descobriu a força da fé quando virou paciente.


Há quatro anos ele teve um enfarte. “Fiquei 15 dias entubado. Padres de todas as religiões rezaram por mim. Isso fez a diferença e vai continuar fazendo a diferença”, falou.


A ciência cada vez mais tem acreditado nisso. Se antigamente os estudos sobre medicina e fé investigavam se esses benefícios vinham da religiosidade das pessoas, hoje, as pesquisas consideram o nível de espiritualidade delas - o que é bem diferente.
Em vez de levar em conta os atos sociais, ou seja, quantas vezes o fiel frequenta celebrações como a missa, a ciência está valorizando a ligação pessoal que cada ser humano tem com a entidade superior em que acredita. Isso é a espiritualidade.


Seja quais forem os rumos das pesquisas nos próximos anos, ninguém duvida que fé e medicina vão seguir juntas.


Para falar sobre a fé, a força do pensamento e a saúde, Ana Maria conversou com o psiquiatra Paulo Vicente Bloise e o ginecologista Eduardo Tomioka. “Estudos mostram que, no câncer de mama, as mulheres com fé têm maior sobrevida. A depressão interfere muito. A pessoa com fé não valoriza os momentos ruins”, disse Tomioka.


Para Paulo, a fé é uma forma de fazer o seu corpo reagir aos problemas. “Através dos bons pensamentos você trabalha positivamente a seu favor”, falou.


Notícia publicada na página do Programa Mais Você, em 10 de novembro de 2009.



Sergio Rodrigues* comenta


Como acontece com relação a tantos outros conceitos e ensinamentos trazidos pelo Espiritismo, há 150 anos, esta é mais uma constatação da Ciência terrena que vem ao encontro do que a Doutrina ensina. Em O Evangelho segundo o Espiritismo, no capítulo XIX, Allan Kardec explica que "O poder da fé se demonstra, de modo direto e especial, na ação magnética; por seu intermédio, o homem atua sobre o fluido, agente universal, modifica-lhe as qualidades e lhe dá uma impulsão por assim dizer irresistível."


Como na passagem evangélica em que a mulher que sofria de perda de sangue obteve a cura pela transfusão fluídica operada ao tocar as vestes de Jesus. Devido à forte fé em que se sustentava, a mulher conseguiu atrair de Jesus os fluidos de que necessitava para a obtenção da cura, mesmo sem que ele manifestasse sua vontade. Sua fé era tamanha que sabia que se aproximasse de Jesus e o tocasse ficaria curada do mal que há muitos anos lhe afligia. O fluido terapêutico, para atingir a matéria orgânica e repará-la, pode ser dirigido pela vontade do curador ou atraído pelo desejo ardente e pela fé do enfermo. Foi esta a hipótese que ocorreu. Sequer precisou que Jesus fizesse qualquer gesto para curá-la, bastando a irradiação dos fluidos que de si emanava e que foram atraídos pela fé daquela mulher. Para atingir a matéria orgânica, reparando o mal que a acomete precisa ser atraído pelo desejo ardente, pela confiança e pela fé do doente, que funciona como uma espécie de bomba aspirante, na comparação de Kardec. A fé sincera e verdadeira funciona como uma força atrativa dos fluidos curadores.


Sendo o nosso corpo físico uma organização material plasmada pelo espírito, com a intermediação de seu perispírito, nele são refletidas todas as reações decorrentes de nossos atos, pensamentos e sentimentos praticados, ou seja, do nosso psiquismo. O corpo físico, portanto, obedece à reação do espírito. Na medida em que este sustenta uma fé sincera e forte na cura, o corpo reage neste sentido. É claro que a ciência materialista não admite esta realidade, até por desconhecê-la. Mas é importante que já admita a eficácia da fé, mesmo sem conseguir explicar como isto ocorre.


* Sergio Rodrigues é espírita e colaborador do Espiritismo.Net.