Espiritismo .NET

Menino com 31 dedos é operado com sucesso na China

Menino com 31 dedos é operado com sucesso na China



Médicos retiraram 11 dedos da criança chinesa de seis anos que nasceu com polidactilia


Efe


Uma criança chinesa de seis anos, que tinha nascido com 31 dedos (15 nas mãos e 16 nos pés), foi submetida com sucesso a uma operação para retirar 11 deles, informou o oficial Diário do Povo.


A criança, cujo nome não foi revelado, nasceu com polidactilia (má-formação que causa o desenvolvimento de dedos extras) na localidade de Yingkou, na província de Liaoning. A cirurgia aconteceu na cidade de Shenjing, capital da mesma província.


A mãe da criança, de sobrenome Liu, contou ao portal informativo "Sina.com" que seu filho era alvo de brincadeiras de mau gosto e provocações de seus companheiros na creche, o que tinha feito com que ele se tornasse retraído, e por isso a família decidiu realizar a operação.


Segundo a mãe, o menino não queria ir à escola por conta das provocações, andava sempre com as mãos nos bolsos e se negava a tirar os sapatos. Além disso, tinha dificuldades para segurar talheres e não podia escrever corretamente, já que alguns dos dedos eram presos a outros.


Os médicos que o operaram disseram que intervenções como essas devem ser feitas cedo, para que as crianças se adaptem a seus "novos" pés e mãos. Além de ter os dedos excedentes amputados, o menino teve mãos e pés reconstruídos. O cirurgião encarregado da operação, Tian Lijie, já tinha experiência neste tipo de operações, mas nunca tinha feito uma a uma criança com tantos dedos.


Segundo o livro Guinness dos Recordes, as pessoas com mais dedos do mundo são dois rapazes indianos (Pranamya Menaria e Devendra Harne, de 4 e 15 anos, respectivamente), que têm 25 dedos cada, seis a menos que o pequeno chinês operado.


Notícia publicada no estadao.com.br, em 25 de março de 2010.



Sonia Maria Ferreira da Rocha* comenta


Ler uma notícia que envolve deformação de uma criança, qualquer que seja, nos causa muita tristeza e muitas dúvidas para aqueles que desconhecem a Lei de Justiça.


Resgatamos não só os erros da encarnação presente, mas também o que fizemos em outras encarnações. Essa é a razão dessas deficiências no nascimento. A Justiça Divina sempre se faz presente, nada é esquecido, Ela é perfeita.


Para aqueles que ainda não têm o conhecimento do Espiritismo, que ainda não se fortaleceram para os avessos da vida, ficam várias perguntas sobre essa Justiça. Só tendo o conhecimento da reencarnação é que conseguirá compreender e aceitar, com resignação, semelhantes acontecimentos.


Assim como este, outros de maiores proporções, até mesmo a deficiência mental, são ajustes do passado. Por isso, nós espíritas, não podemos e nem devemos nos abater e deixar de amparar esses nossos irmãos com muito carinho e afeto. Quando isso acontece no seio da nossa família, é a chamada para a responsabilidade, torna-se uma obrigação o amor e o carinho que devemos dedicar a eles.


“Quem agora te chega ao regaço com deficiência e limitação, recupera-se no cárcere corporal das arbitrariedades que perpetuou.”


No texto acima, verificamos o ensinamento da Lei de Causa e Efeito. É a oportunidade que temos para resgatar o erro a que deu a origem.


"A causa precede sempre o efeito. Uma vez que não está na vida atual, deve ser anterior a ela, quer dizer, pertencer a uma existência precedente. Por outro lado, Deus não pune pelo bem que se faz, nem pelo mal que não se fez, se somos punidos, é porque fizemos o mal: se não o fizemos o nesta vida, o fizemos numa outra" (O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec.)


Essa é a Lei de Causa e Efeito. Essa lei está diretamente ligada à Lei do Progresso e, consequentemente, à reencarnação.


Segundo o site Wikipedia: “A Lei de causa e efeito é um dos princípios fundamentais preconizados pela Doutrina Espírita para explicar as contingências ligadas à vida humana. Também é conhecida na literatura espírita como Lei da Causalidade. Esta lei procura explicar os acontecimentos da vida atribuindo um "motivo justo", e uma "finalidade proveitosa" para todos os acontecimentos com que se depara o homem, inclusive o sofrimento.”


Todo efeito tem uma causa. Esse conceito resume o que a Doutrina Espírita apresenta diante da justiça de Deus. Não existe o acaso, portanto. Sobre isso, Kardec complementa:


“Entretanto, em virtude do axioma de que todo efeito tem uma causa, essas misérias são efeitos que devem ter uma causa e, desde que se admita Deus justo, essa causa deve ser justa”.


Compreendendo e agindo de acordo com os ensinamentos Allan Kardec, vivemos sem o sofrimento exagerado que temos diante dessas situações. Aceitamos, resignadamente, os sofrimentos da vida como uma oportunidade de elevação evolutiva. A reencarnação é essa possibilidade que Deus nos dá, pela Sua misericórdia, para nossa evolução espiritual. Assim, de encarnação após outras, vamos aprendendo e modificando os nossos valores, que o Mestre Jesus veio nos ensinar, exemplificando-os para nós, que é a Lei do AMOR.


* Sonia Maria Ferreira da Rocha reside em Angra dos Reis, RJ, estuda o Espiritismo há mais de 30 anos e é colaboradora regular do Espiritismo.net.