Espiritismo .NET

Motoristas encontram jeito de burlar a Operação Lei Seca

Motoristas encontram jeito de burlar a Operação Lei Seca



Todo mundo sabe que a Lei Seca reduziu o número de vítimas de acidentes de trânsito em todo o país. Somente no Rio de Janeiro essa redução foi de 23,3% em agosto deste ano, se comparar com o mesmo mês do ano passado.


Mas parece que existe um grupo de pessoas que não está ligando muito pra isso e encontrou algumas maneiras de burlar a fiscalização, usando a internet para divulgar locais e horários das operações. Além disso, motoristas de aluguel aguardam antes da blitz para guiar o carro na hora de passar por ela. O esquema acontece da seguinte forma: o motorista que bebeu estaciona o carro, outra pessoa dirige e passa pela blitz sem problemas.


Para falar mais sobre o assunto, Ana Maria conversou com o subsecretário de governo e coordenador da Operação Lei Seca no Rio de Janeiro, Carlos Alberto Lopes. “É uma surpresa pra mim está notícia. Só três pessoas sabem onde serão as operações. As pessoas que fazem parte da equipe também não são informadas sobre os locais”, disse.


Ele também explicou que apenas 6% dos motoristas se recusam a fazer o teste do bafômetro.


Notícia publicada na página do programa Mais Você, em 29 de outubro de 2009.



Leila Henriques* comenta


Diante de tal notícia, só se pode chegar mesmo a uma conclusão que, aliás, não é novidade, pelo menos não para os espíritas:


- Ainda caminham pelas estradas terrenas muitos Espíritos imaturos, optando por agir irresponsavelmente e que, por sua imaturidade, precisam ser protegidos de si mesmos, precisam que os poderes públicos vigiem, através de leis e da observância  do cumprimento dessas leis, suas ações irresponsáveis, que colocam em risco a vida, quer seja a deles mesmos, os transgressores, quer seja dos que se tornam vítimas da sua incapacidade de escolher o que é lícito, o que lhes convém.


As leis evoluem e o fazem a benefício da sociedade, pela visão de homens que guardam a intuição da missão social da qual foram incumbidos ao retornarem às lides terrenas.


No entanto, alguns ainda preferem driblar as leis que os favorecem, usando de um raciocínio distorcido que os conduz a concluir que o bom é levar vantagem em tudo, preferindo dar guarida à velha e equivocada “lei de Gerson” do que pautar suas ações pelas leis que verdadeiramente os beneficia e protege.


Mas, para todos, sem exceção, chegará o tempo da maturidade.


Talvez alguns não a possam alcançar aqui, neste planeta destinado a um futuro mais promissor, onde habitarão Espíritos comprometidos com a responsabilidade e com o bem próprio e o bem comum.


Mas há muitas moradas na casa do Pai, e para uma delas irão aqueles que não se adaptarem às normas de uma sociedade que venceu a fase da imaturidade e ingressou na idade da razão e da fraternidade, onde há de imperar o lema que diz que “o meu direito termina onde começa o do meu próximo”. Com essa visão, todas as leis serão respeitadas sem que para isso seja necessário vigiar os que estão sob sua guarda.


* Leila Henriques é espírita e colabora na divulgação da Doutrina Espírita na Internet.