Espiritismo .NET

Astronauta diz ser mais ecológico após ver Terra do espaço

Astronauta diz ser mais ecológico após ver Terra do espaço



da Efe, em Nova York


O astronauta americano Garrett Erin Reisman, 40, que retornou do espaço na nave Discovery há apenas dois meses, afirmou hoje que se tornou mais ecológico desde que observou a fragilidade da Terra do exterior.


"Quando vi a Terra de cima pela primeira vez, era linda, impressionante, estava em paz, mas o que realmente mudou minha forma de pensar foi ver o horizonte, porque fez com que me desse conta de que nosso planeta é muito mais frágil do que eu achava", afirmou o astronauta.


Reisman foi ontem ao Museu de História Natural de Nova York, onde deu uma palestra e compartilhou com jovens da cidade sua experiência durante três meses girando ao redor da Terra a bordo da ISS (Estação Espacial Internacional).


O astronauta chegou à ISS a bordo da nave espacial Endeavour em 11 de março e voltou à Terra com a tripulação da missão STS-124 na Discovery em 14 de junho.


"O retorno à Terra foi realmente suave e sem complicações, como em um avião, não tive que utilizar o saco para enjôo que levava na mão", afirmou perante as dezenas de crianças e jovens que escutavam atentamente.


Natural de Nova Jersey, Reisman estimulou os jovens a se interessarem por astronomia e contou todas as curiosidades sobre a vida no espaço, como suas impressões durante a viagem ou a forma como se adaptou a ela.


Notícia publicada na Folha Online, em 28 de agosto de 2008.



Breno Henrique de Sousa* comenta


As fronteiras que nos separam aqui na Terra são ilusórias. A divisão dos países, classes sociais e econômicas, castas, religiões, tudo isso perde sentido quando nos distanciamos um pouco daqui e de longe observamos que todas as diferenças desaparecem, são insignificantes diante da imensidão do universo. Até mesmo em algumas viagens de avião já tive esta sensação de distanciamento. Olhando da janela não enxergava as fronteiras que separam cidades, estados e países. Tudo faz parte de um mesmo globo e estamos interligados não apenas no mesmo orbe, mas principalmente pelo universo. Talvez tenha sido isso o que sentiu o astronauta Garret Erin Reisman, assim como vários outros astronautas que passam a observar o planeta de forma diferente depois de observá-lo desde o espaço. Acredito que esta deva ser uma experiência realmente transformadora, porque não são poucos os astronautas que relatam algo semelhante.


O que dizer então dos que conseguem vislumbrar as coisas espirituais? Daqueles que conseguem desde as alturas da lucidez espiritual observar a nossa pequenez. Comparo grandes espíritos como Gandhi, Madre Thereza e Chico Xavier aos astronautas que conseguem observar-nos do alto e ver quão pequenas são nossas preocupações e vejo como a elevação dos conhecimentos espirituais lhes permite enxergar que na verdade somos todos irmãos.


A Terra, este pequeno e frágil ponto azul no espaço, precisa de cuidados e de que estejamos cientes de sua fragilidade. Não é preciso subir em uma nave espacial para despertar esta consciência, já temos ao nosso redor todos as evidências que necessitamos, basta que subamos ao cume de nossas consciências na busca da consciência cósmica de que todos somos irmãos.


* Breno Henrique de Sousa é paraibano de João Pessoa, graduado em Ciências Agrárias e mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Paraíba. Ambientalista e militante do movimento espírita paraibano há mais de 10 anos, sendo articulista e expositor.