Espiritismo .NET

Soldado perde paciência com suicida e o joga de ponte

Soldado perde paciência com suicida e o joga de ponte



Lian Jiansheng, um soldado da reserva de 66 anos, rompeu um cordão de isolamento em que a polícia tentava impedir que Chen Fuchao se jogasse da ponte Haizhu. Depois de tentar, sem sucesso, convencer o jovem a desistir da besteira, o soldado empurrou Chen que, com sorte, caiu em cima de um colchão de ar providencialmente inflado.


Chen Fuchao, que é devedor de 2 milhões de yuans (moeda local) por conta de um fracassado projeto imobiliário, foi hospitalizado com lesões no pulso e nas costas. Já o soldado aposentado Lian foi detido e deverá responder pelo ocorrido.


Notícia publicada no Portal IG, em 24 de maio de 2009.



Claudia Cardamone* comenta


Realmente falta às pessoas um pouco de paciência e tolerância com os sentimentos do outro.


Não se deve cometer suicídio, nem nós devemos julgar aquele que tenta ou mesmo aquele que só ameaça para chamar a atenção. Ambos são espíritos com enormes sofrimentos, mesmo que para nós pareçam pequenos e simples. Nenhuma dor é pequena e simples se quem a estiver sofrendo formos nós.


Acho que este soldado viu um filme americano com uma cena semelhante - não me recordo o nome agora -, onde o policial, verificando que o colchão abaixo já havia sido inflado, e analisando as posibilidades de falhas, decidiu por pular com a vítima algemada a si. Neste caso, o soldado acreditou que teria o mesmo resultado e decidiu empurrar o rapaz.


O que chama a atenção é o sorriso irônico estampado no rosto de alguém que joga o outro da ponte.


* Claudia Cardamone nasceu em 31 de outubro de 1969, na cidade de São Paulo/SP. Formada em Psicologia, no ano de 1996, pelas FMU em São Paulo. Reside atualmente em Santa Catarina, onde trabalha como artesã. É espírita e trabalhadora da Associação Espírita Seareiros do Bem, em Palhoça/SC.