Espiritismo .NET

Rainha da Jordânia usa YouTube contra o preconceito

Rainha da Jordânia usa YouTube contra o preconceito



A rainha Rania da Jordânia decidiu usar o site de compartilhamento de vídeos YouTube para acabar com os estereótipos ligados aos árabes e ao Islã no Ocidente.


Uma equipe da BBC acompanhou o momento em que a rainha gravava o sétimo vídeo desde sua estréia online, em março deste ano.


Falando em inglês, ela pedia que as pessoas sugerissem estereótipos que elas tivessem ouvido sobre o mundo árabe para que ela pudesse "acabar com eles um a um".


A esposa do Rei Abdullah não é a única figura pública a se aproveitar da popularidade do YouTube - políticos e monarcas ao redor do mundo já usaram o site -, mas como uma árabe proeminente usando a internet para tentar se relacionar com o Ocidente e promover o Islã moderado, a rainha Rania se destaca dos demais.


"Meu filho adolescente é um homem de poucas palavras e a reação dele foi dizer que era ‘maneiro’, então eu acho que tem que ser bom", brinca ela.


Os usuários do YouTube parecem concordar com o príncipe. Mais de dois milhões de pessoas assistiram aos vídeos da rainha, uma combinação de posts feitos por ela e de contribuições de vários músicos, comediantes e cidadãos jordanianos.


Mas usando a Internet, a rainha também se expôs a críticas.


"Quando eu contemplei a idéia de usar o YouTube pela primeira vez, algumas pessoas olharam para mim como se eu tivesse enlouquecido", diz a rainha Rania.


"Eu acredito que o nosso mundo está passando por uma crise. A violência substituiu o diálogo e a compaixão perdeu para o ódio. Eu espero que este seja um canal de comunicação entre Ocidente e Oriente, porque eu realmente acho que nosso mundo precisa disso."


Ao contrário de sites no YouTube como os da família real britânica ou do governo britânico, que não permitem comentários ou discussões, o espaço usado pela rainha jordaniana encoraja a participação dos internautas.


As opiniões na página dela vão do tom lisonjeiro ao de ódio. Ela pode escolher quais comentários responder, mas até agora a rainha não fugiu dos assuntos espinhosos: os direitos das mulheres árabes, crimes de honra, religião e terrorismo foram discutidos.


Como uma das mulheres mais fotografadas do planeta, a rainha Rania entende o poder da imagem.


"Uma lente é algo através do qual você pode chegar até as pessoas e passar a sua mensagem", diz ela.


"Como muçulmanos, precisamos nos posicionar e falar sobre quem somos. Se queremos desafiar estereótipos, temos que começar a nos definir e não vamos conseguir fazer isso sentados, quietos, em casa, esperando que as pessoas nos entendam."


Notícia publicada na BBC Brasil, em 27 de julho de 2008.



Jorge Hessen* comenta


O ESPIRITISMO NA ERA DIGITAL, UMA REALIDADE IRREVERSÍVEL


A Era Digital tem ampliado e facilitado a vida humana em face do rápido acesso à informação. Nesse contexto, a Internet é a maior rede mundial, ligando muitos milhões de computadores de grande, médio e pequeno portes, com enorme quantidade de pessoas de interesses variados, seja nos negócios, nas pesquisas, no lazer, na comunicação, e tantas outras áreas quanto se possa imaginar. Destarte, a divulgação na Internet deve ser democrática, porém, aqueles que querem divulgar o Cristianismo devem ter a consciência da responsabilidade, procurando sempre saber as finalidades da divulgação e as suas consequências, porque a Internet não é só um excelente foro de debates, mas, sobretudo, bastante vasto e influente, atingindo proporções globais, colocando as ideias e imagens face a face com outras realidades sociais, políticas e culturais.


Há um site de vídeos que prega os ensinamentos cristãos, engrossando a disseminação religiosa na Internet. Porém, em meio às divergências veiculadas, chegam a gerar disputas virtuais entre comunidades virtuais. Com cerca de 4,8 mil vídeos, por exemplo, o GodTube (Broadcast Him!), segue o estilo do popular YouTube, e afirma utilizar a tecnologia Web para conectar cristãos com a finalidade de promover e disseminar o Evangelho no mundo. Porém, o site potencializa uma tendência de levar, para a Internet, a discussão de temas religiosos ortodoxos, que, em alguns casos, já chegou a causar problemas em alguns países árabes.


Recentemente, a mídia divulgou que o Governo do Paquistão bloqueou o acesso a sites, principalmente de vídeos, cujos conteúdos de suas páginas considera ofensivos ao Islã. Outros países, também, já bloquearam o acesso ao YouTube, como a Turquia e a Tailândia, gerando, logicamente, um estado de grande irritação por parte dos usuários, apesar de os provedores nada poderem fazer diante da imposição dos Governos fundamentalistas. Todavia, ao inverso dessa medieval intolerância, a Rainha Rania, da Jordânia, de forma inteligente, tem utilizado sites de vídeos contra o preconceito. A esposa do Rei Abdullah acredita que o mundo está passando por intensas mudanças, principalmente aquelas movidas pela força do instinto, em que a violência substitui o diálogo e a compaixão perde para o ódio. Ela sustenta a tese de que a Internet é um canal de comunicação de extrema importância entre Ocidente e Oriente e, por isso mesmo, decidiu usar o site de compartilhamento de vídeos para acabar com os estereótipos ligados aos árabes e ao Islã no Ocidente.


A rainha jordaniana não é a única figura pública a se aproveitar da popularidade da Internet, e particularmente dos sites de vídeos, pois outros políticos e monarcas, ao redor do mundo, também se utilizam desse inigualável instrumento de comunicação, mas, obviamente, na condição de uma árabe de renome, usa a Internet para se relacionar com o Ocidente e promover o Islã moderado, sobressaindo-se às demais personalidades mundiais. A comunicação virtual é tão poderosa que a rainha Elizabeth 2ª da Inglaterra lançou seu próprio canal em website (um site de vídeos), onde mensagens, com sons e imagens, são compartilhadas. Ela afirmou que o novo meio de comunicação tem tornado a sua mensagem mais pessoal e direta. No YouTube, por exemplo, já há canais exclusivos do gabinete britânico e do Presidente da França, Nicolas Sarkozy.


A rigor, pela rede mundial de computadores, temos excelente meio de divulgação de ideias e informações, "em face da sua facilidade, versatilidade, abrangência, interatividade e baixo custo. "Pela Internet, consegue-se atingir, também, uma população anônima que não pode ou nem sempre vai a uma Casa Espírita. Portanto, o uso da tecnologia, em geral, e, especificamente, da tecnologia da informação dentro da Casa Espírita, e na Divulgação Interna e Externa da Doutrina dos Espíritos, é um recurso de real importância e de profunda utilidade nos trabalhos espíritas, apoiados na razão, respaldados pela Ciência, pela Filosofia e pela Religião. Até porque, estamos vivendo tempos de globalização da informação, que tramita numa velocidade impressionante com tendência a aumentar mais ainda."(1)


Em entrevista para Revista O Consolador, de Londrina, Divaldo afirma: "a Internet, como tudo que o homem toca e corrompe, infelizmente, tornou-se veículo de informações incorretas, de agressões, de desmoralizações, de infâmias, de degradação e de crime... mas também de grandiosas realizações que dignificam o gênero humano e preparam a sociedade para dias mais belos e mais felizes".(2) Allan Kardec previa, no século XIX, que "uma publicidade em larga escala, feita nos jornais de maior circulação, levaria ao mundo inteiro, até as localidades mais distantes, o conhecimento das ideias espíritas, despertaria o desejo de aprofundá-las e, multiplicando-lhes os adeptos, imporia silêncio aos detratores, que logo teriam de ceder, diante do ascendente da opinião geral."(3) Como se observa, a divulgação em grande escala se consegue, atualmente, através da rede de computadores, o que permite a troca de informações dos mais variados assuntos, enviar mensagens, conversar com milhões de pessoas ou, apenas, ler as informações de qualquer parte do planeta. Em face disso, cremos que ela tem o papel mais importante na divulgação do Espiritismo contemporâneo, apoiado no que Emmanuel ensina: "O Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade - a caridade da sua própria divulgação".(4)


Nos dias de hoje, existem inúmeros grupos de estudo e discussões sobre temas espíritas, na Internet, com um conteúdo magnífico. Não há dúvida de que é um excelente instrumento de divulgação, especialmente, pelo fato de atingir longas distâncias, e, até mesmo, outros países, onde a Doutrina Espírita, ainda, é pouco conhecida. Cremos que nós, os espíritas, não devemos resistir aos avanços da tecnologia, temos que nos acostumar com isso, e estarmos sempre atualizados, porque a geração que já se aproxima dominará essa linguagem e, se pudermos facultar a aquisição do conhecimento espírita a esses jovens do futuro, será um extraordinário projeto espiritual para a sociedade contemporânea. "A Internet elimina as barreiras físicas e estabelece a ligação que permite que as notícias corram rapidamente o mundo, que novas ideias sejam apresentadas e debatidas, que exemplos sejam conhecidos e seguidos, que resultados sejam checados e validados. Nela estamos todos próximos, todos em condição de conhecer o que se passa nos vários cantos deste nosso mundo."(5)


Nesta Era Digital, os estímulos de fraternidade, entre as diversas instituições espíritas em nível mundial, serão factíveis pelo intercâmbio que poderá ser mantido e pela possibilidade de se elaborar cursos interativos, por exemplo, uma discussão da obra de André Luiz, apontando links relevantes entre os diferentes textos, e com comentários feitos por autores reconhecidos. Pela rede de computadores, surge uma nova Era para o movimento espírita, sobretudo, na diretriz dada por Ismael ao Brasil. Há dois mil anos, Paulo de Tarso teve que andar a pé, cerca de 500 mil quilômetros, para divulgar a Boa Nova. Hoje, Deus nos oportuniza, do conforto da nossa casa, participar de estudos interativos em "salas espíritas" - a exemplo do uso do Paltalk – e, com isso, espalharmos a Terceira Revelação aos mais longínquos recantos da Terra.


Por essas razões, o orador Divaldo Franco afirma "que se Allan Kardec estivesse reencarnado, nestes dias, utilizar-se-ia da Internet com a mesma nobreza com que recorreu à imprensa do seu tempo na divulgação e defesa do Espiritismo, diante dos seus naturais adversários" (6), e acrescenta: "Comovo-me diante deste excelente recurso que diminui distância, ainda mais por sentir, participando deste nosso convívio, alguns benfeitores espirituais que estão a todos nos envolvendo em ondas de paz e vibrações de saúde, entre os quais, os Espíritos Eurípedes Barsanulfo, Cairbar Schutel, Joanna de Ângelis e Vinícius, igualmente felizes, abençoando a tecnologia e a informática utilizadas para o bem".(7)


Por essas relevantes razões, "é interessante que as Casas Espíritas busquem os recursos tecnológicos como retroprojetores, datashows, áudios, vídeos, filmes, microfones, caixas de som e todo ferramental disponível que seja útil e aplicável para o aprendizado das Verdades da Vida, mas, principalmente, através desse imenso e irreversível universo de utilização da Informação por meios eletrônicos."(8)



Referências:


(1) Macedo, Reinaldo. Espiritismo e Tecnologia da Informação (palestra realizada em 25/08/2008, por ocasião da 44ª Semana de Confraternização dos CEs do Méier e Adjacências no CENMC - RJ). Reinaldo é o Webmaster do site http://jorgehessen.net;


(2) Franco, Divaldo. Entrevista para Revista Eletrônica O Consolador, disponível em http://www.oconsolador.com.br/51/entrevista.html;


(3) Kardec, Allan. Obras Póstumas - Projeto 1868, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 2001;


(4) Xavier, Francisco Cândido. Estude e Viva, Ditada pelo Espírito Emmanuel, Rio de Janeiro: Ed. FEB, 2001, Cap. 40;


(5) Bernardo, Carlos Alberto Iglesia. Espiritismo e a Internet. Artigo publicado no Boletim GEAE Número 282, de 3 de março de 1998;


(6) ________Franco. Entrevista para Revista Eletrônica O Consolador, disponível em http://www.oconsolador.com.br/51/entrevista.html;


(7) ________Franco, em palestra virtual realizada dia 17/03/2000, disponível em http://www.espiritismo.net/file/1/arquivos/pv170300.pdf;


(8) ________Reinaldo. Espiritismo e Tecnologia da Informação (palestra realizada em 25/08/2008 por ocasião da 44ª Semana de Confraternização dos CEs do Méier e Adjacências no CENMC - RJ). Reinaldo é o Webmaster do site http://jorgehessen.net.


* Jorge Hessen é natural do Rio de Janeiro, nascido em 18/08/1951. Servidor público federal lotado no INMETRO. Licenciado em Estudos Sociais e Bacharel em História. Escritor (dois livros publicados), Jornalista e Articulista com vários artigos publicados.