Espiritismo .NET

O que acontece quando morremos – Um estudo sobre a vida após a morte

O que acontece quando morremos – Um estudo sobre a vida após a morte



Livro do Dr. Sam Parnia abre uma brecha excepcional de compreensão para aquilo que experimentamos como o fim da vida


Talvez o mistério científico não resolvido mais fascinante de toda a história da humanidade seja o quebra-cabeça da própria vida, de como ela começa e como termina. Embora alguns dos mistérios ao redor do início da vida já tenham sido explorados, o que acontece no fim dela permanece um enigma. Neste mais recente lançamento da Editora Larrousse “O que acontece quando morremos” o Dr. Sam Parnia, apresenta para o leitor um minucioso estudo sobre o quase-morte e fatos vivenciados por ele em UTIs.


Parnia é um dos maiores especialistas do mundo no estudo científico da morte, do estado da mente humana, do cérebro e das experiências próximas da morte. No seu dia a dia, principalmente no hospital britânico Southampton General, ele sempre encarou e ainda encara questões relativas à vida e a morte. Foi nesse contexto que ele tornou-se bastante interessado em algumas das informações dadas por seus pacientes que passaram pelo momento clinicamente conhecido como o ponto da morte.


A pesquisa do Dr. Sam Parnia começa a partir do ponto onde o livro Life after life, de Raymond Moody (1972), terminou. Durante seus estudos, ele percebeu que nossa melhor compreensão sobre a morte pode ser alcançada, por exemplo, ao estudar experiências de quase-morte que ocorrem durante uma parada cardíaca, quando o coração pára e após 11 segundos a consciência e a atividade cerebral cessam. A partir daí nenhuma área de função cerebral permanece para manter consciência. Até os sistemas mais básicos de manutenção da vida são destruídos; reflexos de respiração, freqüência cardíaca e cerebral ficam completamente ausentes – um estado equivalente à morte clínica. Parnia percebeu que este estado, que permanece reversível por cerca de 30 minutos, é o modelo mais próximo de que a ciência dispõe do processo da morte, e fornece uma brecha excepcional de compreensão para aquilo que experimentamos como o fim da vida.


Um dos fatos mais interessantes da experiência de quase-morte, durante uma parada cardíaca, é que, na recuperação, muitos pacientes relatam ter deixado seus corpos e assistido ao processo de ressuscitação, e é com esses depoimentos, que em “O que acontece quando morremos” o leitor poderá ter contato com experiências que podem ser ao mesmo tempo macabras e fascinantes.


Um trecho do livro muito curioso é o relato de uma mãe de uma criança de três anos, paciente do Childrens’ Hospital em Boston, EUA. Ela conta que seu filho logo após sair de um coma, pedia insistentemente para voltar a um parque, que segundo a mãe não existia. A criança contou que sobrevoou por esse parque em companhia de uma mulher exatamente no período do coma, e que a experiência havia sido fantástica e por esse motivo queria repeti-la. A mãe num primeiro momento pensou que se tratava de uma alucinação, mas ao mostrar fotos antigas ao filho, a criança identificou a vó materna, já falecida, como a mulher que havia sobrevoado o parque com ele.


Este e outros relatos intrigantes marcam a narrativa de “O que acontece quando morremos”. O livro traz também análises de especialistas, como neurologistas que avaliam minuciosamente alguns relatos.


O Dr. Sam Parnia é um dos maiores especialistas do mundo no estudo científico da morte, do estado da mente humana, do cérebro e das experiências próximas da morte. Atualmente, ele divide seu tempo entre os hospitais do Reino Unido e a Cornell University, em Nova York, onde é membro da Unidade de Cuidado Pulmonar. É fundador do Consciousness Research Group na Universidade de Southampton e presidente da Fundação de Pesquisa Horizonte. O Dr. Parnia também conduz um estudo científico inovador, em parceria com inúmeros centros médicos do Reino Unido, dos Estados Unidos e do Canadá, que objetiva descobrir através da ciência o que acontece quando morremos. Muito requisitado como palestrante, ele também aparece constantemente na mídia, incluindo os programas This Morning e Richard & Judy. Sua sólida pesquisa foi incluída no documentário da BBC The Day I Died.