Espiritismo .NET

Dito e feito: esperantistas tomaram as ruas do Rio

Dito e feito: esperantistas tomaram as ruas do Rio de Janeiro



As ruas do Rio de Janeiro assistiram a uma festa esperantista no último sábado, dia 4 de outubro. Dezenas de falantes e simpatizantes do esperanto dirigiram-se a praças e logradouros públicos, em diversos pontos do Estado, a fim de divulgar o idioma. A iniciativa inseriu-se nas comemorações do Ago-tago, expressão que pode ser traduzida como o dia da ação em prol da língua internacional neutra.


A Cooperativa Cultural dos Esperantistas organizou manifestações no Largo da Carioca, no Centro da Capital fluminense. Montou-se, no local, uma pequena exposição de livros e revistas de todo o mundo. No Méier, na Zona Norte, distribuíram-se aproximadamente 300 panfletos de propaganda. Logo após, realizou-se um almoço de confraternização em um restaurante próximo.


Em Bonsucesso, na Região da Leopoldina, houve atividades na Praça das Nações. Em Campo Grande, na Zona Oeste, a panfletagem ocorreu no calçadão do bairro. Na Ilha do Governador, os esperantistas concentraram-se nas adjacências do estádio da Portuguesa. Na Baixada Fluminense, os grupos locais reuniram-se em Queimados, junto à Estação Ferroviária.


Membros do Niterói Esperanto Clube montaram uma barraca ao pé da estátua de Araribóia, em frente à Estação das Barcas. Liderados pelo presidente da entidade, o atleta Walter Fontes, os samideanos niteroienses distribuíram folhetos aos adultos e bolas de gás às crianças.


O idealismo e a simpatia dos esperantistas venceram a desconfiança de alguns transeuntes, motivada pela intensa campanha eleitoral. Segundo especialistas, o Ago-tago 2008 pode ser considerado o maior da história, por causa da quantidade de locais onde aconteceram atos públicos.