Espiritismo .NET

Escolas de SP terão oficinas contra gravidez na adolescência

Escolas de SP terão oficinas contra gravidez na adolescência



O trabalho que será implantado foi inspirado nos bons resultados de uma parceria, o Vale Sonhar


Giuliana Vallone, do estadao.com.br


SÃO PAULO - A partir de outubro deste ano, 600 mil adolescentes de 3,6 mil escolas paulistas terão oficinas sobre gravidez na adolescência durante as aulas de biologia do 1º ano do ensino médio, promete a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. “Vamos mostrar aos estudantes da rede que a gravidez é uma escolha, cujas implicações os acompanharão pelo resto da vida”, afirmou a secretária Maria Helena Guimarães de Castro.


O trabalho que será implantado nas salas de aula foi inspirado nos bons resultados de uma parceria da pasta, o projeto Vale Sonhar, que reduziu em mais de 90% o número de jovens gestantes na região do Vale do Ribeira, interior de São Paulo, região de menor índice de desenvolvimento humano do Estado.


Criado pelo Instituto Kaplan - especializado em estudos da sexualidade humana, o Vale Sonhar uniu conhecimento sobre sexualidade, reprodução e contracepção aos debates sobre os sonhos e projetos dos jovens, com o objetivo de promover o sexo seguro. “O objetivo é desenvolver essa responsabilidade pessoal no adolescente, para que ele perceba o impacto da gravidez no seu projeto de vida”, explica Sandra Vasques, psicóloga, orientadora sexual e gerente dos projetos do instituto.


Notícia publicada no estadao.com.br, em 21 de julho de 2008.



Sergio Rodrigues* comenta


Sem dúvida, esta é uma medida que há muito se faz necessária e merece o nosso aplauso. Somente através do esclarecimento pela educação é que poderemos combater situações semelhantes, cuja ocorrência aumenta a cada dia. Infelizmente, alguns adolescentes tratam a questão da gravidez sem a devida seriedade, deixando de avaliar as conseqüências futuras em suas vidas e na do nascituro. A vida é um processo, com fases bem definidas, que devem ser observadas. Quando queimamos etapas, avançando antes da hora, via de regra, as conseqüências são desastrosas.


É preciso esclarecer o jovem sobre a gravidade que a paternidade - aqui entendida em sentido amplo, que abrange também a maternidade - representa. Muitas das vezes, sem ter sido programada no plano espiritual para aquele momento, a reencarnação acontece sem a devida preparação, tanto do espírito que irá reencarnar como daqueles que o acolherão como pais. Espíritos em desequilíbrio psíquico, geralmente sem qualquer vinculação espiritual com as partes envolvidas e que precisam reencarnar de qualquer maneira, aproveitam-se dessa circunstância. E o adolescente, ainda sem ter cursado todo o período que a escola da vida oferece para o devido amadurecimento, vê-se na obrigação de acolher esse espírito e educá-lo para o fazer um homem de bem. Não se encontrando ainda preparado para atender a essa missão, a possibilidade de fracasso de ambos é grande, agravando comprometimentos espirituais ainda não saldados.


A iniciativa é, portanto, louvável e merece ser seguida por outros setores da administração pública.


* Sergio Rodrigues é espírita e colaborador do Espiritismo.Net.