Espiritismo .NET

Casamento de feio com bonita "tem mais chance de dar certo"

Casamento de feio com bonita "tem mais chance de dar certo"



Um estudo de cientistas americanos indicou que casamentos têm mais chance de dar certo quando a mulher é mais bonita que o homem.


A pesquisa, conduzida por uma equipe de psicólogos da Universidade do Tennessee, analisou como a diferença entre o "nível de atratividade" dos parceiros se relaciona com a satisfação de um casal.


Através de entrevistas com cerca de 80 casais recém-casados, os cientistas perceberam que a beleza teve efeitos "robustos e universalmente positivos" no início dos relacionamentos.


Mas, nos casamentos que se seguiram, "os homens mais bonitos estavam menos satisfeitos", eles escreveram, em um artigo publicado na revista científica Journal of Family Psychology.


"Os homens mais bonitos que suas parceiras demonstraram tendência a oferecer menos apoio emocional e prático às suas mulheres", avaliou o professor James McNulty, que coordenou o estudo, segundo o jornal britânico Daily Mail.


"Homens mais bonitos têm à disposição mais possibilidades de relacionamentos de curto prazo, o que os torna menos satisfeitos e comprometidos com o relacionamento."


No artigo, os pesquisadores afirmam que níveis similares de beleza foram importantes no início do relacionamento – mas foram perdendo importância à medida que a relação evoluía.


Segundo eles, "ambos os parceiros se comportaram mais positivamente em relacionamentos em que as mulheres eram mais atraentes que seus maridos, e negativamente nos relacionamentos em que os homens eram mais atraentes que suas mulheres”.


Notícia publicada na BBC Brasil, em 24 de março de 2008.



Claudia Cardamone* comenta


O relacionamento humano é tão complexamente simples, que ainda não o compreendemos direito. Nesta pesquisa, o foco foi o relacionamento amoroso, e como ele pode dar certo.


Pena que esta reportagem não nos explica o que os cientistas americanos consideram ser um casamento que deu certo. Mas talvez possamos perceber algumas dicas: Os parceiros estão satisfeitos; um parceiro oferece apoio emocional e prático ao outro; é um relacionamento duradouro; a beleza perde aos poucos a sua importância; e o comportamento dos parceiros é sempre positivo.


Nós não só sabemos, mas também compreendemos, que este tipo de relação "perfeita" não é fácil neste mundo de provas e expiações, mas felizmente também não é raro.


Esta pesquisa procura saber qual a importância da beleza física na felicidade conjugal. Pelas conclusões relatadas, esta beleza possui importância para a união e atração dos parceiros e na manutenção inicial desta relação. E por que isto ocorre? Primeiramente, porque o ser humano precisa se reproduzir, é uma lei natural essencial para a nossa sobrevivência neste planeta. Em segundo lugar, porque Deus fez o homem para viver em sociedade, e o casamento é a célula base da sociedade. É nesta relação que os seres procurar aprender e vivenciar a solidariedade fraterna.


Mas a beleza física é efêmera e frágil, ela se perde a cada segundo de nossa existência. Porém o homem, mesmo consciente de que todo ser humano ficará velho, fisicamente fragilizado e dependente, mesmo assim, ele concede à beleza física uma importância ilusória e demasiada. Ainda somos todos assim, porque se nosso espírito tivesse controle e fosse superior à matéria física, não estaríamos aqui.


Mas então, se somos espíritos que apenas se utilizam de corpos físicos temporariamente, por que damos a estes corpos tanta importância? Porque fomos habituados a isto por milênios. É só olharmos a natureza, buscarmos e reconhecermos em nós estes instintos primitivos, ainda inferiores. Para os animais, um corpo belo - vamos pensar numa beleza inserida em cada espécie - significa um animal sadio, capaz de gerar filhotes saudáveis e fortes, capaz de proteger o bando e a família, dos perigos e dos predadores, capaz de encontrar comida e abrigo. O ser humano primitivo também não era assim?


Para estes pesquisadores, a beleza física do homem tem maior influência na satisfação do casal. Será que o marido que é menos atraente que a esposa é mais satisfeito no casamento, apenas pela ausência da possibilidade de relacionamentos de curto prazo? E as mulheres? Qual a influência das esposas para que um casamento "dê certo"?


Através do progresso moral, que ocorre lentamente, iremos compreender que o amor independe da beleza física. E quando compreendermos isto e principalmente quando conseguirmos vivenciar isto, o nosso relacionamento amoroso terá maiores oportunidades de "dar certo", porque aceitaremos o outro do jeito que ele é, sem nos preocuparmos com sua aparência física. Saberemos que somos todos espíritos que possuem um corpo por um período muito curto e não que somos um corpo que possui um espírito eterno.


* Claudia Cardamone nasceu em 31 de outubro de 1969, na cidade de São Paulo/SP. Formada em Psicologia, no ano de 1996, pelas FMU em São Paulo. Reside atualmente em Santa Catarina, onde trabalha como artesã. É espírita e trabalhadora da Associação Espírita Seareiros do Bem, em Palhoça/SC.