Espiritismo .NET

Virtudes – um diálogo introdutório

Filosofia Espírita
Virtudes – um diálogo introdutório








  

Nos dias 2 e 3 deste mês de novembro, na cidade de Passo Fundo-RS, Cosme Massi proferiu palestra sobre a necessidade do estudo da doutrina espírita e realizou dois seminários nos quais falou “sobre o conhecimento de si mesmo”, e “sobre a estrutura didática de O Livro dos Espíritos”.


Na oportunidade foi apresentado ao público o livro: Virtudes – um diálogo introdutório, escrito em parceria com Cristian Macedo, de Porto Alegre-RS.


O livro aborda, com simplicidade e em forma de diálogo, mas com profundidade, importantes questões sobre as virtudes na visão espírita.                                                                                          



Filosofia espírita, ética espírita, redes de virtudes e vícios e as paixões são tópicos explorados com eloqüência pelo filósofo Cosme Massi, e podem ser lidos em menos de uma hora.


A idéia de se escrever pequenos livros, com abordagens curtas e precisas, foi do jovem Cristian Macedo, que assim se expressa na apresentação do livro:


“Cosme não é simplesmente um amigo da sabedoria, mais é amigo de Allan Kardec. A partir dessa amizade, ele nos apresenta muitas informações e nos sugere reflexões que revolucionam nossa forma de entender o Espiritismo.


Além disso, Cosme nos ensina a indagar, a buscar a verdade sempre, a entender a harmonia da Criação e a beleza das leis de Deus.


Quando a idéia do projeto Filosofia Espírita surgiu, foi inevitável pensar em Cosme Massi.


Expliquei a proposta... gravaríamos algumas de suas conversas sobre Espiritismo e colocaríamos no papel. Ele aceitou.


O primeiro material é este pequeno volume intitulado Virtudes: um diálogo introdutório. Nele está uma conversa que tivemos sobre a idéia espírita das virtudes. Foi muito agradável, simples e clara.


Meu objetivo foi questionar e ouvir suas idéias. E, ao colocá-las no papel, nunca interferi a ponto de descaracterizá-las.


Compartilho com vocês esse diálogo construtivo e informal que é o início de uma série.


Estaremos caminhando juntos, não pelos jardins de Academos, na antiga Grécia, mas nesses jardins da vida, sempre ligados pelo espírito de amor à sabedoria espírita.”