Escrever um "diário da gratidão" pode parecer brega, antiquado ou até positivo demais.

Talvez seja. Mas entrar no hábito de expressar gratidão pode não apenas nos fazer sentir melhor, como também reprogramar nosso cérebro com efeitos duradouros e provocar mudanças benéficas em nosso corpo.

E você pode fazer isso de uma maneira bem fácil: escrevendo uma lista das coisas pelas quais sente gratidão. Pode ser à noite, antes de dormir, ou de manhã, antes de começar o dia.

A "ciência da gratidão" explica que ela pode te fazer mais feliz, diminuir sua pressão sanguínea e melhorar seu sono.

Expressar gratidão faz parte do movimento da "psicologia positiva", que tem muitos estudos feitos nos Estados Unidos.

Uma dessas pesquisas foi realizada com 200 estudantes e revelou que escrever listas de gratidão durante nove semanas resultou em maiores taxas de felicidade e menos doenças físicas. Os alunos também começaram a fazer mais exercícios, porque estavam se sentindo melhor com a vida.

Em outro estudo, pediu-se que pacientes que sofrem de uma série de doenças neuromusculares escrevessem cinco coisas pelas quais eram gratos todos os dias, durante três semanas. Aqueles que contaram suas bênçãos relataram significativamente menos dor, bem como um sono melhor do que o grupo de controle.

E, talvez o mais surpreendente de todos, um estudo em que as pessoas foram solicitadas a cultivar sentimentos de gratidão observou maior ativação no córtex pré-frontal, a área do cérebro associada à tomada de decisões e recompensa social.

É importante ressaltar que nem todos os estudos produziram resultados extremamente positivos e, se você tiver preocupações sobre sua saúde mental, é importante falar com um especialista.

Sentir gratidão

A pesquisadora Fuschia Sirois, da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, estuda a gratidão, a compaixão e o papel de ambas em nossa saúde e bem-estar.

"Muitas das pesquisas que fiz sobre a gratidão examinam os benefícios potenciais da gratidão em situações de estresse contínuo - especificamente em pessoas que vivem com condições de saúde crônicas. Quem vive com uma condição de saúde crônica, muitas vezes vive um estresse contínuo, com muita dor e limitações funcionais", explica.

Nessas pesquisas, ela pede que os participantes pensem em três coisas coisas pelas quais são gratos. Em alguns casos, propõe um "diário de gratidão", em que as pessoas diariamente, ou a cada dois dias, escrevem itens pelos quais sentem gratidão.

Muitas vezes, as pessoas expressam gratidão por eventos que são acionados por outras pessoas.

"Nos referimos a isso como gratidão desencadeada por benefícios, quando alguém faz algo de bom para nós que nos faz nos sentir gratos", diz.

Em outras ocasiões, as pessoas expressam "um sentimento geral de gratidão". Acordar sem interagir muito com outras pessoas, por exemplo, mas notar que o dia está ensolarado e ficar grato por isso e pela oportunidade de sair de casa e aproveitar o dia é um desses casos.

Sirois também estuda a gratidão como uma "tendência de disposição".

"Você pode pensar na gratidão como algo contínuo. Há momentos específicos em que nos sentimos gratos, mas com o tempo, podemos desenvolver uma mentalidade mais disposta à gratidão."

Em outras palavras, ao praticar gratidão, podemos desenvolver uma perspectiva mais fixa de maior gratidão diante da vida.

Por que 'praticar' a gratidão traz efeitos positivos?

Há muitas teorias diferentes para explicar por que praticar a gratidão traz efeitos positivos para nossa saúde, diz Sirois.

Um dos efeitos positivos é no sono.

"As pesquisas sugerem que isso acontece porque a gratidão nos coloca em um estado mais positivo, abrindo nossa perspectiva e permitindo com que a gente se concentre mais nas coisas positivas e as aprecie, em vez de se concentrar nas preocupações do dia - algo que pode interferir no nosso sono."

Outro resultado positivo é o alívio da dor.

"Algumas das pesquisas que fizemos sobre comportamentos de saúde mostram que há redução de estresse e de pensamentos e sentimentos negativos, enquanto há ampliação de sentimentos positivos que as pessoas têm sobre si mesmas e como veem o mundo."

Um terceiro efeito positivo é sobre o sistema imune.

"A expressão de gratidão pode reduzir nossos níveis de estresse porque nos faz ver as coisas de uma perspectiva mais ampla e não a partir de uma visão estreita das coisas. Regular nossa resposta ao estresse também tem um impacto positivo em nosso corpo - um deles sendo a inflamação, que é um marcador importante para o risco de desenvolvimento de uma série de doenças crônicas."

Por último, a gratidão pode alterar nossa tendência a fazer coisas saudáveis.

Sirois analisou elementos como ter uma boa noite de sono, alimentação saudável, fazer exercícios regulares, controlar o estresse, reduzir comidas sem qualidade e o consumo de cafeína. Em resumo, comportamentos saudáveis ligados ao bem-estar.

Seu grupo analisou esses elementos em 17 amostras diferentes, com quase 5 mil pessoas.

"O que descobrimos é que, em cada uma das amostras, se você tivesse mais probabilidade de uma atitude de gratidão, também estaria mais propenso a se envolver em comportamentos saudáveis, o que alguns outros estudos também já sugeriram."

Para entender por que isso acontecia, a pesquisadora analisou a "orientação para o futuro" das pessoas. Isso se refere à probabilidade de elas pensarem sobre o seu futuro ou de serem voltadas para o futuro.

"Descobrimos que a ligação entre ser grato e ter melhores práticas de comportamentos de saúde foi explicada em parte por esse maior pensamento sobre o futuro", diz a pesquisadora.

Nos estudos de mudanças neurais de pessoas que são gratas, as áreas do cérebro que são ativadas quando as pessoas experimentam gratidão ou quando passam por uma intervenção de gratidão são as mesmas áreas do cérebro que controlam nossa capacidade de pensar sobre o resultado de nossas ações, ou seja, nosso pensamento futuro. "Parece haver alguma sobreposição", diz.

Sirois observa que há quem veja a gratidão como um mecanismo de enfrentamento. Outros acham que tem mais a ver com regulação do humor.

"Há uma variedade de efeitos diferentes. Não fomos capazes de identificar um só mecanismo. A gratidão opera por meio de uma série de mecanismos diferentes para trazer benefícios potenciais para a saúde e o bem-estar."

O que se sabe é que ela pode ter efeitos duradouros em nossa saúde física e mental. Vale a pena tentar. Gratidão.

 

Notícia publicada na BBC News Brasil, em 11 de junho de 2021

 

Mabel Perito Velez*, comenta

É gratificante reconhecer que sentir gratidão traz tantos benefícios à nossa saúde. Que o nosso organismo físico reage positivamente a uma espécie de emoção que experimentamos diante de algo que nos satisfaz, que nos estimula a alegria e o contentamento.

Mas e quando a gratidão não é natural, quando não conseguimos atingir esse nível de compreensão e nem sempre nos sentimos gratos pelas dificuldades, pelas tristezas, pelos diversos problemas que precisamos enfrentar diariamente para seguirmos o nosso caminho?

É precisamente nesse momento que a fé exerce a sua maior influência, robustecendo os nossos sistemas de defesa ao expandir o nosso olhar para as verdadeiras bênçãos da vida. Em especial a crença na imortalidade da Alma, na continuidade da vida após a morte do corpo físico, em suma, nos postulados da reencarnação.

O Espiritismo fornece os meios para que recebamos a dor, física e moral, com maior dose de coragem e resignação. Viver para sempre nos concede a certeza de que conseguiremos superar todos os obstáculos da jornada e, através dessa certeza, os relativizamos, pois os sabemos temporários.

Quando percebemos no nosso íntimo que somos seres imortais, sempre vivos, invariavelmente voltados à evolução, ao progresso, uma força se apodera de nós e nos reconhecemos capazes de resistir até às maiores adversidades com espírito de convicção e, por que não dizer, de gratidão. 

Tornamo-nos gratos pela própria capacidade de superação que descobrimos, pela força em lutar e prosseguir, acreditando e crescendo. Experimentamos gratidão ao Senhor da Vida, por confiar em nós, por nos amar como filhos queridos e fornecer tantas oportunidades de aprendizado e redenção.

A gratidão pode ser considerada ainda como a forma com que decidimos enfrentar as ocorrências do dia-a-dia, um modo de ponderar os desafios da existência, elevando os nossos pensamentos na direção dAquele que é responsável por nós e pelo nosso futuro.

É sintonizar com as faixas mais altas das vibrações universais e delas retirar importante fonte de fortalecimento. É ressignificar tudo aquilo que nos alcança com as lentes do amor, é afirmar como Joanna de Ângelis, na obra “Psicologia da Gratidão”, psicografia de Divaldo Franco: “A gratidão é a assinatura de Deus colocada na Sua obra”.

 

*Mabel Perito Velez é formada em administração e colabora com o Espiritismo.net.

 

Atendimento Fraterno via chat. De domingo a sexta-feira, das 20h às 22h; quinta-feira, das 08h15 às 11h15; e em dias e horários alternativos.