Carlos Fresco, de 57 anos, levou seu amado labradoodle (mistura de labrador com poodle) para fazer seu último passeio no país de Gales, após uma batalha de um ano e meio contra leucemia.

Fresco viajou de London para Gales e se hospedou com um amigo perto da cordilheira de Brecon Beacons, uma montanha que Monty, seu companheiro canino, já havia explorado e se apaixonado.

Aos 10 anos e após tantos meses doentes, o rapaz sabia que o cachorro não seria capaz de subir a trilha, então ele resolveu o problema o colocando em um carrinho de mãos e o carregando até o topo da cordilheira.

Outros amantes de animais se ofereceram para ajudá-los na empreitada, então, Carlos limpou o carrinho, colocou vários cobertores para forrar e acomodou Monty em cima.

"Monty amou e se animou muitovendo os outros caminhantes. Todos ajudaram e empurraram o carrinho por um tempo e ele se divertiu, pois adora interagir com outras pessoas e ser o centro das atenções", declarou Carlos.

O cãozinho foi diagnosticado há um ano e meio, e respondeu bem à quimioterapia, mas infelizmente o câncer voltou com muita força semanas antes do passeio.

"Monty sempre esteve ao meu lado. Nós trilhamos por todo o país e Monty conseguiu subir nos três picos das motanhas e estava sempre disposto para uma aventura", disse Carlos, emocionado.

O dono de Monty se mostrou muito grato a todos que ajudaram Monty a subir a montanha na última aventura que teve antes de morrer. Segundo ele, o cãozinho pareceu estar muito em paz durante o passeio e agradece por ter tido essa oportunidade.

 

Notícia publicada IG,  em 08 de Julho de 2021

 

Renata Federici* comenta

 

O Amor incondicional impulsiona a Transformação. 

Quantos de nos já não tiveram ou tem um animal de estimação, seja um cachorro, gato, porco, cavalo, vaca, enfim os animais fazem nossos dias serem mais alegres, terem mais significado.  Quando nos unimos afetivamente, essa ligação é capaz de nos transformar, nos faz ver o mundo de forma mais doce, leve, onde o amor é dado sem impor condições, em que a troca de sentimentos é continua e sincera. 

Além disso, a entrega é dada por completo, buscando sempre o bem e a felicidade um do outro. Vejamos o exemplo de Monty e Fresco, uma união tão intensa que ao final da vida de um, no caso o cachorro, fez o homem buscar acolher e proporcionar uma passagem dessa para a outra vida de forma comovente, rememorando bons momentos. 

Muitas perguntas surgem quando vemos a morte de perto de um companheiro animal. Os animais tem alma? Para onde vão? Os animais reencarnam? Porque sofrem? E até mesmo, nos perguntamos, se como o homem, os animais também evoluem. Essas perguntas tem sido estudas pelo Espiritismo desde de seu princípio. Allan Kardec,  no “ O Livro do Espíritos” explora o assunto e nos trás respostas como a que vemos na questão : "601. Os animais estão sujeitos, como o homem, a uma lei progressiva? - “Sim; e daí vem que nos mundos superiores, onde os homens são mais adiantados, os animais também o são, dispondo de meios mais amplos de comunicação…” .  Portanto, evoluímos todos que habitamos esse planeta, uma vez que, todos temos as mesmas oportunidades. 

A partir dessa reflexão nos fica a pergunta: Se evoluímos todos e o homem é considerado o ser inteligente, possuidor do livre-arbítrio, capaz de transformar e criar sobre a matéria; não teria também sua responsabilidade pela evolução de nossos irmãos animais desde o ponto de vista das relações que se estabelece com eles? E não serviriam portanto, os animais ao homem, de recordatório do que pode ser o Amor Incondicional?

Se seguimos essa linha de pensamento, observamos que nossa relação com os animais é muito mais importante do que imaginamos.  Vamos voltar a Monty, o cachorrinho da reportagem, ele provavelmente ao estar doente, necessitou mais cuidados e carinho. Porém, seu dono por Amor, buscou fazer tudo que podia, que estava ao seu alcance, não hesitou em nada, nem mesmo doar seu esforço físico para alegrá-lo. E com essa atitude ele levou o cachorro em uma difícil caminhada que exigiu coragem, determinação, equilíbrio mental frente a futura separação. Contudo, esse ato de Amor também contribuiu para que outras pessoas colaborassem participando, dividindo e carregando o peso físico e emocional, ampliando para o sentido da solidariedade.

Nesta história, tanto homem como animal, nos ensinam que a vida passa rapidamente, mas se nos ajudamos, amamos, interagimos e contribuímos para a nossa evolução nos sentiremos mais plenos.  

Aos os que tem um animal de estimação, talvez seja importante, relembrar que os animais também foram criados por Deus com uma função, da qual  ainda não conhecemos por completo, mas intuímos,  porque nada é feito no universo ao acaso, tudo tem um sentido Maior, mesmo que não tenhamos consciência.  

Talvez a existência desses pequenos companheiros que partilham conosco o mesmo princípio inteligente, seja para nos mostrar como nossas relações deveriam ser baseadas no amor incondicional, ou até mesmo, estejam ao nosso lado  para percebermos o quanto tudo está conectado e em perfeita harmonia, dentro dos planos da evolução. 

O caminho do progresso nos é proporcionado todos os dias,  nos dando oportunidades de reparação dos nossos equívocos, mas escolhemos seguí-lo ou não. Entretanto, muitas vez, falta ao homem a humildade animal de aceitar a natureza como ela se apresenta; e a partir dessa aceitação  raciocinar sobre as decisões,  criar sobre as dificuldades e entender que fazemos parte desse Todo.  

Muitos animais de estimação nos servem de companhia, nos auxiliam nas dores, nas depressões, nos ensinam a perdoar, nos alegram durante as tristezas;  e também,  nos mostram as intemperanças, as raivas, os instintos. Contudo, a convivência mostra que  que devemos trabalhar em conjunto seguindo a natureza de nosso princípio, da nossa essência criada por Deus. 

Portanto, homens e animais, cada um com o propósito necessário para seu aprendizado e evolução; agindo através de sua própria inteligência, seja instintiva ou racional, estão dividindo o aprendizado, doando e recebendo o amor que está no coração. Jesus nos ensinou amar ao próximo através  dos animais, dos nossos inimigos, dos que  nos caluniam,  sejamos caridosos com nosso próximo porque juntos somos capazes de nos fortalecer.

Talvez a reflexão seja complexa e profunda, ultrapassando os limites do nosso entendimento, mas em síntese esses questionamentos seriam sobre a responsabilidade do homem no planeta, e seu papel na interação que possui com outras espécies que aqui habitam. Portanto, sendo o homem um ser capaz de refletir sobre seus atos, deveria buscar não só uma evolução intelectual e material,  mas também a evolução planetária, entendendo que tudo tem um papel fundamental na Obra do Universo, e que através do Amor Incondicional podemos impulsionar a transformação. 

 

* Renata Federici é fonoaudióloga formada pela PUC-SP. É Espírita, Leitora compulsiva, Amante das palavras. Contribui escrevendo em grupos espiritualistas e é colaboradora do Espiritismo.net.

 

 

Você está precisando de ajuda? Clique no banner e fale com a gente.

Atendimento Fraterno via chat. De domingo a sexta-feira, das 20h às 22h; quinta-feira, das 08h15 às 11h15; e em dias e horários alternativos.