Algumas pessoas têm ataques de pânico e problemas de ansiedade enquanto aguardam notícias sobre os mais de 150 ainda desaparecidos. Cães Tal e Molly ajudam no processamento de emoções, enquanto os voluntários humanos trabalham com palavras em inglês e espanhol, diz presidente de ONG.

Aos 7 anos de idade, Tal é um Akbash de 58 quilos e Molly é uma Walker Coonhound de um ano. Os dois são cães treinados para terapia com a equipe de ajuda humanitária Boricuas de Corazon.

Enquanto parentes dos desaparecidos aguardam notícias do local do prédio em Miami que desabou há três dias, Boricuas de Corazon espera que os cães ajudem as vítimas e membros da comunidade a processar suas emoções.

“Estamos trabalhando com diferentes famílias que estão sendo encaminhadas para nós no centro comunitário. Uma das razões é porque eles estão tendo ataques de pânico ou problemas de ansiedade e temos sido capazes de deixá-los trabalhar com os cachorros, tocando no cachorro, colocando suas emoções para fora. Então, estamos trabalhando com eles nas palavras e os cães estão trabalhando com eles nas emoções”, disse a presidente do grupo, Linda Perez.

Ela explicou como é feita a terapia:

“Eles podem tocar o cachorro, podem sentir o cachorro, são capazes de ter esse contato com os olhos. É muito legal. Os animais estão absorvendo tudo que eles estão sentindo ao mesmo tempo e isso pode ser muito relaxante para eles”, disse.

Perez explicou que sua organização tem parceria com outros grupos que treinam cães de terapia e eles estão preparados para ficar com as vítimas por um longo período de tempo enquanto as notícias começam a chegar.

Com uma equipe bilíngue, a equipe trabalha em espanhol e inglês – um reflexo da região de Miami, que abriga diásporas judias e latino-americanas.

“Trabalhamos com famílias da Argentina, ontem à noite tínhamos mais de quatro famílias da Argentina. Tínhamos uma família do Paraguai que estava no (Community) Center. Essas pessoas de Houston, Texas – nós também estivemos com eles ontem. Não importa qual seja sua nacionalidade. O que queremos fazer é oferecer-lhes nossos corações com este pequeno gesto”, acrescentou Perez.

 

Notícia publicada no G1, em  28 de Junho de 2021

 

Selma Trigo* comenta

 

    É  importante observar que os cães são princípios inteligentes que estão em processo de evolução e trazem em si recursos naturais que os distinguem entre as raças. Assim como os homens, em que esse princípio inteligente evoluiu até que alcançasse a condição hominal. E mesmo nesse período da evolução do espírito, ele vai se apurando entre a força do instinto e a soma da inteligência e sentimento, etapa por etapa. Nada é como um passo de mágica. O que podemos observar nas várias espécies de animais. 

     O cão tem variadas raças e umas com capacidade, se assim podemos dizer, de  “inteligência instintiva” mais evoluída, o que o torna capaz de realizar através de adestramentos ações incríveis. 

      E mesmo sem os referidos adestramentos com sentido útil, muitos cães têm uma afabilidade, doçura, e fidelidade aos seus donos que irradiam no campo fluídico que os envolvem. E esses recursos favorecem para nós humanos como medicamento afetivo na cura das emoções. Seja na solidão, crises emocionais e outros aspectos psíquicos. 

     Os cães não tem condição de expressar palavras, mas pelo latido, o abano dos “seus rabinhos” e muito mais pelos olhar, eles “ falam” conosco... 

     Precisamos aprender a perceber seus registros emocionais e olhar sempre nos olhos deles. 

     Após esse preâmbulo, importante, dizer que essa Ong que a reportagem informa, com certeza, as pessoas inseridas neste projeto devem ser sérias e experientes, em preparar algumas dessas raças citadas para contribuir em amenizar a dor humana diante de um fato trágico na vida, pois os cães são quando bem cuidados e orientados, extremamente afetivos e podem acalmar o “estado de alma” de muitas pessoas. É a chamada “Terapia do Afeto” através dos animais, que nós, seres humanos, tanto precisamos, pois só o amor alivia a dor. 

     Além desta Ong, podemos ver outras instituições ou mesmo pessoas que se utilizam deste recurso até nos hospitais para levar um pouco de alegria e carinho aos doente,  e o animal, de forma especial, contribui para o equilíbrio das emoções dos mesmos. 

     Excelente trabalho feito pela ajuda humanitária Boricuas de Corazon! 

     Que outros projetos como esse possam surgir.

     Que possamos fazer aos outros o que desejamos que nos façam. Foi o que Jesus deixou para todos nós há mais de dois mil anos.

 

* Selma Trigo Oliveira é palestrante espírita, professora e pedagoga. Pós-graduada em Supervisão Escolar pela UCAM e Pós-graduada em Avaliação Escolar pela UERJ. Coordenou por 15 anos o Seminário de Pedagogia Espírita na Educação promovido pelo Centro Espírita Léon Denis, no Rio de Janeiro.

Você está precisando de ajuda? Clique no banner e fale com a gente.

Atendimento Fraterno via chat. De domingo a sexta-feira, das 20h às 22h; quinta-feira, das 08h15 às 11h15; e em dias e horários alternativos.