2007-11-25 A Reencarnação e os Laços de Família

A Reencarnação e os Laços de Família
Telma Simões Cerqueira


A Doutrina Espírita esclarece para nós sobre a importante função educadora e regeneradora da família, diante do processo da edificação moral do homem. Percebemos então que a família pode contribuir de maneira abrangente dentro da proposta de educação da humanidade, do homem como Ser Espiritual, apontando o lar e tudo o que este poderá oferecer para a formação desse Homem de Bem, amanhã.

E como podemos definir Família?

Joanna de Ângelis nos diz no livro "S.O.S. Família", que “é grupo de espíritos normalmente necessitados, desajustados, em compromisso inadiável para a reparação, graças à contingência reencarnatória.”

Quando no plano espiritual, despertos para o alcance de nossos erros, das nossas mazelas morais, conscientes dos nossos compromissos que assumimos com os outros e que, na maioria das vezes, falimos, solicitamos aos instrutores espirituais um novo retorno à vida física, carregando as provas necessárias para o nosso ressarcimento, reencontrando assim as almas simpáticas, as almas adversárias que farão parte do mecanismo de aprendizado e abraçando a responsabilidade perante os nossos tutores espirituais, que zelam pelo nosso progresso.

Assim, nos reunimos em família, no mesmo ambiente, através dos Laços de Família favorecidos pela Reencarnação.

Que benção?!!

E aí surgem todos os processos, que para nós não serão novidade nenhuma.

Muitos conflitos surgem exatamente em virtude das pessoas viverem debaixo do mesmo teto desconhecendo essa necessidade grandiosa de aprender a conviver e não a viver. Há muitas diferenças entre viver e conviver.

Somos individualidades. Esquecemos muitas vezes que o respeito ao livre-arbítrio daqueles que são os componentes da nossa família é primordial para que possamos conviver.

Somos espíritos imortais em evolução, com experiências em diferentes encarnações, portanto trazemos bagagens diferentes que, de forma bastante significativa, promovem a nossa instabilidade ou estabilidade, como também daqueles que formam esse grupo de espíritos que estão unidos pelos laços da carne, aparentemente, mas unidos pelas experiências de ontem.

Allan Kardec nos dá uma visão bem ampla dessa questão, iluminada pela luz da reencarnação, no Cap. IV de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”. Compreendemos então que o reencarnante veste a roupagem da inocência e se expressa relativamente como um novo indivíduo. Mas a roupagem é frágil e permite ao indivíduo o aflorar de idéias inatas, tendências, defeitos e virtudes que estão nas nossas matrizes perispirituais. Cabe então à família, aos pais, observar esse reencarnante com olhos amorosos.

A melhor escola ainda é o Lar, nos dizem os benfeitores espirituais...

O que é um Lar?

O Lar é o conjunto de pessoas da família, vivendo sob o mesmo teto. Nele, o indivíduo nasce, cresce e se educa.

Neio Lúcio, no livro “Jesus no Lar”, lição nº 1, nos traz as palavras de Jesus: “O lar é um curso ligeiro para a fraternidade que desfrutaremos na vida eterna. Sofrimentos e conflitos naturais, em círculo, são lições”.

Então, todas as experiências que partilhamos na vida doméstica são um rico e profundo material que trabalharemos para a conquista dos valores mais elevados.

Desenvolvendo assim a tolerância, a paciência, a compreensão, o entendimento, o perdão, o trabalho, a bondade, a gratidão, e muitas outras virtudes, poderemos nos desenvolver no cadinho do lar e assim estaremos trabalhando na renovação de nós mesmos, de nossos lares e de toda a Humanidade.

Viver em família: podemos comparar a escalar montanhas – que significa superar as nossas dificuldades, vencer os nossos obstáculos.

É claro que alguns de nós permaneceremos rebeldes a essas oportunidades de reconciliação, de aprendizado, de reajuste e de desenvolvimento afetivo que nós encontramos dentro do Lar, e muitas vezes diante da nossa dificuldade ainda, estacionamos com a nossa dureza de coração, que nos leva a verdadeiros sofrimentos, e quando assim permanecemos é claro que uma nova possibilidade nos será oferecida para podermos vencer a nós mesmos e enfrentar os problemas causados, ou melhor, as dificuldades que não conseguimos superar.

E no livro “Leis de Amor”, ainda o benfeitor Emmanuel completa, ao ser indagado sobre de que precisamos para vencer a luta doméstica: “Devemos revestir-nos de paciência, amor, compreensão, devotamento, bom ânimo e humildade, a fim de aprender a vencer, na luta doméstica.”

Os deveres de cada um de nós, como pais, mães, filhos e irmãos, bem cumpridos e carregados com alegria, fazem que coletivamente o lar seja um ambiente de paz e satisfação.

Retornamos ao Corpo Físico para dar continuidade à nossa tarefa que foi interrompida, e através da reencarnação teremos nova oportunidade para esse trabalho no campo do progresso evolutivo de cada um de nós. Para isto precisamos de um porto seguro onde possamos recomeçar a jornada: a FAMÍLIA.

E então é no ambiente doméstico que as almas se reencontram sob variados motivos: resgate, afeições, desafetos, missão ou com a finalidade de estreitar os laços que vão unir essas criaturas, pois neste ambiente de convivência contínua, de interdependência, na condição de pais, filhos e irmãos, aprendemos a nos entrelaçar através da convivência, aprendendo a nos amar.

Todas as ações, todos os exemplos nobres, os bons momentos vividos, as lições que transmitimos estão semeadas, e um dia germinará e despertará o sentimento desse coração, que no momento não se encontra com a terra adubada para a devida germinação.

Que possamos prosseguir a nossa jornada de aprendizado, tendo bom ânimo e perseverança.

Façamos o melhor de nós e deixemos que Deus faça o que ainda não estiver ao nosso alcance.

E vamos finalizar com Emmanuel, do livro “Família” - trecho da mensagem "Cá e Lá":

“Recebamos na criança de hoje, em pleno mundo físico, o companheiro do pretérito que nos bate à porta do coração, suplicando reajuste e socorro. (...) Estendamos a luz da educação e do  amor, diminuindo as sombras da penúria e da ignorância".


Referências bibliográficas:

1. Joanna de Ângelis/Divaldo P. Franco – livro: S.O.S. Família;
2. Allan Kardec – livro: O Evangelho segundo o Espiritismo – cap. IV;
3. Neio Lucio - livro : Jesus no Lar;
4. Emmanuel/Chico Xavier – livro: Família;
5. Emmanuel/Chico Xavier – livro: Leis de Amor.



Encontro será realizado no Rio Grande do Sul

Será realizado nos dias 26 e 27 de julho no Teatro do Bourbon Country o 1º Encontro de Medicina, Direito e Espiritualidade. O tema central será "Em busca da saúde integral e da pacificação social". Entre os palestrantes estarão Décio Iandoli, Gabriel Salum e Gilmar Bortolotto.

Encontro de Arte Espírita no Mato Grosso do Sul

Acontecerá no dia 26 de julho de 2014, de 17h às 20h no estacionamento do Hospital Nosso Lar, em Campo Grande, o 11º Encontro de Arte Espírita. O tema central será "A Divina Lei do Amor - uma homenagem aos 150 anos de lançamento de "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

Mãe de vítima salva iraniano da forca à beira de execução

Um homem foi salvo da forca pela mãe do rapaz que assassinou segundos antes de ser executado no Irã, de acordo com o Daily Mail. De acordo com o pai da vítima, o filho da mulher teria aparecido em um de seus sonhos e pedido que a família não se vingasse. Sergio Rodrigues comenta.