2007-09-12 Quem está mais exposto ao estresse?

Estresse

Quem está mais exposto ao estresse?


Se você associa o estresse a executivos e a profissionais com grandes responsabilidades no trabalho, mude seus conceitos. A profissão, hoje em dia, não define se uma pessoa estará mais ou menos exposta ao estresse.

"A situação em que está inserida no trabalho é mais importante do que o posto que a pessoa ocupa, ou sua profissão", afirma o psiquiatra Renério Fraguas Junior. Posições de trabalho com alta demanda, cobrança e baixa autonomia, além daquelas que requerem muita responsabilidade são as que proporcionam mais estresse. Outro grande vilão é o desemprego.

Segundo o psiquiatra, o estresse entre pessoas que não detêm cargo de comando pode ter crescido pela insegurança cada vez maior que existe nas grandes cidades. "Os papéis nelas são muito pouco definidos, as pessoas são anônimas e há pouco suporte social. Você não sabe com quem pode contar e está sujeito a uma desconfiança maior." 

http://www.terra.com.br/saude


Vida e Saúde – Qualidade de Vida
Redação Terra: Thais Gurgel



Sedes atraem prostitutas adolescentes

"A exploração sexual infantil não está mais tão visível, ela acontece nos bastidores da sociedade, por isso há dificuldade para combatê-la", disse Angélica Goulart, secretária nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Secretaria dos Direitos Humanos. Sergio Rodrigues comenta.

Congresso Médico-Espírita no Rio Grande do Sul

Nos dias 6 e 7 de setembro de 2014 acontece o 6º Congresso Médico-Espírita do Rio Grande do Sul, com o tema "150 anos de 'O Evangelho Segundo o Espiritismo' - Desafios da Alma no Mundo em Crise". Palestras já confirmadas de Décio Iandoli, Marlene Nobre e Sergio Lopes.

"Rir é tão importante para nossa vida quanto a inteligência ou a criatividade"

Rir nos torna mais inteligentes, criativos e saudáveis, segundo o neurocientista cognitivo Scott Weems. Ele explica de que maneira algumas gargalhadas revelam crenças e preconceitos e oferecem soluções inéditas para nossos problemas. Paula Mendlowicz comenta.